Mostrando postagens com marcador Ser mulher é ser lutadora. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Ser mulher é ser lutadora. Mostrar todas as postagens

16 de jan de 2010

PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL

Como pastora conferencista, palestrante e pregadora da Palavra de Deus, comprometida com a responsabilidade de conscientizar os cristãos e as cristãs da necessidade de vivermos o efeito igualador do evangelho, garantido por Jesus Cristo na cruz do calvário; sempre fico em oração nos últimos quinze dias do ano que termina e nos primeiros quinze dias do novo ano, pedindo a Deus uma palavra profética que possa fazer a diferença na vida de homens e de mulheres que decidiram colocar Jesus Cristo em primeiro lugar nas suas vidas.

A palavra profética que Deus me deu em 2009 foi “AS MULHERES CRISTÃS QUEREM VIVER O EFEITO IGUALADOR DO EVANGELHO”. Avaliando o alcance dessa palavra profética nas conferências, palestras, pregações, etc.; realizadas em congressos, seminários, confraternizações, acampamentos, colóquios, orkut, afrokut, blog, etc.; pudemos ver Deus agindo na vida de homens e de mulheres que foram impactados e impactadas, muitas das vezes depois de se indignarem, de criticarem e de julgarem, mas foram convencidos e convencidas pelo Espírito Santo de Deus do pecado, da justiça e do juízo que cometiam, por falta de conhecimento e, puderam renovar as suas mentes, as suas vontades e as suas emoções, submetendo-as única e exclusivamente aos princípios defendidos por Jesus Cristo, na Bíblia Sagrada.

Após trinta dias em oração, a PALAVRA PROFÉTICA que Deus me deu para 2010 é “PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL”.

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda opressão é o ato ou efeito de oprimir,
exercício exagerado de poder ou de violência sobre indivíduos ou grupos, tirania, dificuldade de respirar, sufocação e oprimir é sobrecarregar com peso, apertar, comprimir, afligir, tiranizar, humilhar, vexar, causar opressão.

Infelizmente, contrariando os princípios defendidos por Jesus Cristo, ao longo de dois mil e nove anos, temos visto nas igrejas em geral, as mulheres sendo expostas a todo tipo de opressão, provocadas por homens de Deus e por mulheres de Deus.

As opressões em geral se manifestam de forma direta e/ou de forma indireta.

As opressões de forma direta são caracterizadas pelo(a):

  • ato de oprimir;
  • exercício exagerado de poder;
  • violência sobre indivíduos.

Podemos perceber as opressões de forma direta, através do ato de oprimir, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • entrem nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • assistam as assembléias das convenções de suas denominações;
  • tenham o direito de voz e de voto nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • Se filiem as convenções de suas denominações;
  • ocupem o púlpito e só dirijam as reuniões do círculo de oração, da união feminina, da assistência social, etc.; em “mesinhas” colocadas embaixo do púlpito;
  • sejam ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas;
  • dirijam igrejas;
  • dirijam cultos públicos;
  • se candidatem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja;
  • dirijam institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos;
  • doutrinem, ensinem e preguem em cultos públicos, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através do exercício exagerado de poder, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • ocupem o púlpito de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado ocupar o púlpito com o traje que escolher;
  • cantem no coral de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado cantar com o traje que escolher;
  • toquem instrumentos musicais na orquestra, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado tocar com o traje que escolher;
  • atuem como diaconisas, presbíteras, evangelistas e pastoras, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado atuar nos mesmos cargos com o traje que escolher, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através da violência sobre indivíduos, quando determinadas mulheres que sugerem, criticam e questionam são proibidas de:

· serem ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são ordenadas;

· dirigirem igrejas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são enviadas para dirigir;

· dirigirem cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são designadas para dirigir;

· se candidatarem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são indicadas para concorrerem aos mesmos;

· dirigirem institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são convidadas para dirigi-los;

· doutrinarem, ensinarem e pregarem em cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são escaladas para doutrinar, ensinar e pregar nos referidos cultos, etc.

As opressões de forma indireta são caracterizadas pelo(a):

  • efeito de oprimir;
  • violência sobre grupos;
  • sobrecarga com peso.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através do efeito de oprimir, quando as mulheres sem mais suportar a opressão na igreja:

  • desistem de sugerir, criticar e questionar;
  • se calam, se conformam e se resignam;
  • desistem do exercício de seus ministérios;
  • adoecem acometidas de enfermidades como estresse, depressão, síndrome do pânico, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da violência sobre grupos, quando aos poucos departamentos da igreja liderados por mulheres:

  • são negadas verbas para investimento e as mulheres precisam gerar recursos através de bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens as verbas são liberadas com presteza;
  • há o corte de verbas, tendo as mulheres de complementá-las com bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens o corte não acontece;
  • são exigidos o cumprimento de metas difíceis de serem alcançadas enquanto que nos departamentos liderados por homens, as metas exigidas são factíveis;
  • são os únicos departamentos em que as mulheres podem doutrinar, ensinar e pregar, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da sobrecarga com peso, quando se exige das poucas mulheres que ocupam cargos na igreja:

  • entrarem e assistirem as assembléias das convenções de suas denominações, porém sem direito a se filiarem e sem direito a voz e ao voto;
  • terem o direito de se candidatarem apenas aos cargos de secretária e/ou tesoureira, na diretoria da igreja;
  • executarem as funções de pastora, evangelista, presbítera e diaconisa, no entanto, sendo proibidas de receberem esses títulos e recebendo o título de missionárias;
  • um desempenho acima do desempenho exigido dos homens que também ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo;
  • uma dedicação de tempo integral, sem remuneração, quando aos homens que ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo não se exige e/ou exigia essa dedicação e os mesmos eram remunerados para o exercício do cargo;
  • entregarem o cargo, muitas das vezes por telefone, sem nenhuma justificativa plausível quando aos homens, normalmente existe uma reunião formal para que se dê a entrega do cargo, além de, ao mesmo tempo, elevá-lo a um outro cargo, de preferência superior ao que está deixando;
  • exercerem o seu ministério em parceria com o marido, realizando as mesmas funções que ele e, o marido recebe o título de pastor, evangelista, presbítero e diácono e a mulher é proibida de recebê-los, além de o marido ser remunerado e a mulher não, etc.

Na Bíblia Sagrada, em Zc. 9. 8, 12, Deus faz uma promessa de proteção para Judá, enquanto seus vizinhos estiverem nas garras dos opressores e das opressoras (14): “Defenderei a minha casa contra os invasores e as invasoras. Nunca mais um opressor ou uma opressora passará por cima do meu povo, porque agora eu vejo isso com os meus próprios olhos. Voltem à sua fortaleza, ó prisioneiros, ó prisioneiras da esperança; pois hoje restaurarei tudo em dobro para vocês”.

Em 2010, as promessas de Deus para as mulheres que foram e/ou estão sendo oprimidas por homens e mulheres, nas igrejas em geral, são:

  1. Deus está vendo com os seus próprios olhos, cada uma das opressões de que as mulheres de Deus têm sido vítimas na Casa de Deus;
  2. Deus defenderá cada mulher de Deus contra todas as opressões de que têm sido vítimas na Casa de Deus;
  3. Deus nunca mais permitirá que os opressores e as opressoras, que têm agido na Casa de Deus, passem por cima das mulheres de Deus;
  4. Deus restaurará em dobro tudo que foi perdido por cada mulher de Deus, pela opressão sofrida na Casa de Deus.

Mas, para que você mulher, viva essas promessas em sua vida, a partir do ano de 2010, precisa tomar alguns posicionamentos:

    • colocar realmente Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo em primeiro lugar na sua vida;
    • admitir que você está sendo oprimida;
    • identificar que tipo de opressão você está sofrendo;
    • ter a coragem de jejuar, orar e pesquisar a Palavra de Deus para descobrir tudo que Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo dizem contra a opressão;
    • ir a Casa de Deus com o compromisso de não olhar para os opressores e as opressoras e sim para Deus, para Jesus Cristo e para o Espírito Santo;
    • voltar a Casa de Deus, como prisioneira da esperança de que, o que diz a Palavra de Deus contra a opressão prevalecerá, EM NOME DE JESUS!



17 de out de 2009

A MULHER CRIANÇA, A MULHER PROFESSORA E A MULHER MÉDICA

Deus ama a Mulher Criança. Deus ama a Mulher Professora. Deus ama a Mulher Médica.


Não é por acaso que o Dia da Criança, o Dia da Professora e o Dia da Médica são comemorados no mês de outubro e, uma data da outra, é separada por uma diferença de três dias.


Essas três mulheres têm algo em comum.


A Mulher Criança na maioria das famílias brasileiras teve de lutar para ter o direito de brincar visto que as suas mamães foram educadas por suas vovós para administrarem o lar sozinhas e quando muito, com a ajuda de suas filhas, enquanto que aos seus maridos era garantido o direito de trabalhar fora e trazer a provisão para o lar e, aos seus filhos, era garantido de forma natural o direito de jogar bola, de soltar pipa, de andar de bicicleta, etc.


A Mulher Professora na maioria das famílias brasileiras teve de lutar para ter o direito de estudar em função de que as suas mamães foram educadas por suas vovós ouvindo que as mulheres não deveriam aprender a ler e escrever para não escreverem bilhetes para namorados e também educaram suas filhas da mesma forma. Muitas acabaram fazendo o Curso de Formação de Professoras por que era o único curso e a única profissão que seus papais e suas mamães permitiam que fosse feito e desempenhado por suas filhas.


A Mulher Médica na maioria das famílias brasileiras além de lutar para ter o direito de estudar teve de lutar também para que fosse garantido a ela o direito de escolher a sua profissão. Os papais e as mamães tentavam convencê-la de que, já que pretendia trabalhar fora, deveria fazer o Curso de Formação de Professoras por que ser médica era uma profissão de homem.


Neste Dia da Criança, Dia da Professora e Dia da Médica percebemos que a Mulher Criança, a Mulher Professora e a Mulher Médica, apesar das lutas que precisaram empreender para se realizarem na infância, na adolescência e na juventude; não se conformaram com essa situação e acabaram contribuindo para que, no século XXI, o maior acesso das mulheres à instrução, seja uma das mudanças mais importantes que hoje estão melhorando a situação delas no Mundo Natural e no Mundo Espiritual, mostrando A IMPORTÂNCIA DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS SOBRE O PRECONCEITO EM RELAÇÃO À MULHER.


A Mulher Criança, a Mulher Professora e a Mulher Médica passaram da proibição em estudar para:
. ocupar a maioria das carteiras como alunas na Educação Infantil, no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e no Ensino Superior;
.
ter a maior quantidade de anos de estudo, mesmo quando é obrigada a abandonar a sala de aula por causa da gravidez indesejada, da viuvez de marido vivo, da viuvez de marido morto, da violência doméstica, etc.;
. ocupar a maioria das carteiras como alunas, nos Institutos Bíblicos, nos Seminários Teológicos, nas Faculdades Teológicas, nas Universidades Teológicas, etc.;
. as Mulheres Professoras são maioria nas salas de aula na Educação Infantil, no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e no Ensino Superior de todos os cursos.


Mulher Criança! Mulher Professora! Mulher Médica! Parabéns pelo seu dia!

6 de set de 2009

A AÇÃO DE DEUS, DE JESUS CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO PELA IGUALDADE DA MULHER

A principal ação pela igualdade da mulher no mundo teve origem em Deus, passou por Jesus Cristo e se consolidou com o Espírito Santo.

No Antigo Testamento, as mulheres israelitas gozavam de considerada liberdade.
As mulheres efetuavam todo o trabalho de casa:
. iam buscar água e preparavam o alimento (Gn 18.6);
. fiavam e faziam roupa (I Sm. 2.19);
. negociavam (Pv. 31.14-24).

As mulheres participavam ativamente da vida política:
. Bate-Seba, mãe de Salomão, chegou a manobrar eventos, já nos fins do reinado de Davi, garantindo para seu filho o trono (I Rs. 1.3-31);
. as reformas políticas e religiosas, instituídas pelo rei Asa, de Judá, incluíram a remoção da rainha-mãe, Maaca que estava exercendo uma influência negativa sobre o reino (I Rs. 15.9-13)
. uma rainha e a irmã de um ex-monarca lutaram pelo controle do trono. (II Rs. 11).

As mulheres tomavam parte, na adoração pública, nos mais diversos campos:
. como cantoras ( II Cr. 35.25);
. como profetisas ( Hulda em II Rs. 22.14), (Miriã em Ex. 15.20) e (A esposa de Isaías em Is. 8.3);
. como bordadeiras (Pv. 31.19).

No Novo Testamento, as mulheres cristãs podiam gozar de melhores privilégios.

As mulheres Suzana, Joana, Maria Madalena e muitas outras mulheres, viajaram com Jesus Cristo e, nesta atitude, Ele demonstrou que para Deus todas as pessoas são iguais (Lc. 8.1-3):
. Suzana tornou-se líder entre as mulheres que serviam e davam apoio financeiro a Jesus e seus discípulos;
. Joana, sem dúvida era uma mulher de prestígio e influência social. Tomou uma difícil decisão: correu o risco de perder seu conforto para tornar-se seguidora de Jesus, ofertando o seu tempo, energia e recursos para apoiar a obra de Deus;
. Maria Madalena estava como testemunha da crucificação (Mt. 27.55,56), estava presente no sepultamento de Jesus (Mt. 27.61), estava entre os primeiros a ouvirem o anúncio do anjo sobre a ressurreição de Jesus (Mt. 28.01-06) e foi a primeira pessoa que, realmente, conversou com Jesus, depois que Ele ressuscitou (Jo. 20.11-18).

Ainda no Novo Testamento, o Espírito Santo ampliou os privilégios das mulheres cristãs, que participaram dos dons do Espírito Santo no Dia de Pentecoste (At. 2. 1-4) e tiveram ampliadas as suas participações na adoração pública.

As mulheres cristãs participavam da adoração pública através:
. da prática dos seus dons de oração e profecia (I Co 11.5a);
. da atuação como diaconisas como foi o caso de Febe (Rm. 16. 01) e outras oito mulheres elogiadas por Paulo pelo seu trabalho nas igrejas locais ( II Tm. 1.5 e II Tm 3. 14,15);
. da atuação como pastoras como foi o caso de Priscila que foi ensinada e treinada pelo próprio Paulo e discipulou Apolo (At. 18. 24-26).

Neste dia 6 de setembro de 2009, dia em que comemoramos o Dia Internacional de Ação pela Igualdade da Mulher, a principal ação que precisamos ter como mulheres cristãs é divulgarmos para a sociedade em geral que a relevante contribuição do Cristianismo, para a melhoria das condições sociais da humanidade, foi a elevação da mulher, pois as mulheres cristãs podem viver o efeito igualador do evangelho garantido por Deus, por Jesus Cristo e pelo Espírito Santo.

3 de set de 2009

UMA MULHER DE DEUS QUE NÃO ACEITOU TER O SEU MINISTÉRIO ABAFADO POR HOMENS DE DEUS

Na história do protestantismo histórico, pentecostal e neo-pentecostal no Brasil a maioria das igrejas evangélicas não reconheceram o sacrifício de Jesus Cristo na cruz do calvário, que nos trouxe o efeito igualador do evangelho, reservando às mulheres de Deus um papel secundário, em que na adoração pública só podiam e/ou podem atuar:
.na cantina;
.na cozinha;
.no serviço social;
.no círculo de oração;
.no toque de instrumentos musicais;
.no solo de músicas;
.no canto em corais;
.na regência de corais.
No entanto, sempre tivemos nas igrejas evangélicas mulheres de Deus que tiveram os seus ministérios abafados por homens que proibiram-nas de exercerem o chamado de Deus para: .
. dirigir igrejas;
. dirigir cultos;
· ser pregadoras;
· ser ensinadoras;
· ser diretoras de institutos bíblicos;
· ser missionárias;
· ser diaconisas;
· ser presbíteras;
· ser evangelistas;
· ser pastoras.
Porém, essas mulheres de Deus não se conformaram com esses impedimentos. Mesmo sendo consideradas cidadãs do céu de segunda categoria, na adoração pública, para esses homens; elas se posicionaram e, proibidas de terem títulos dados por homens; mesmo na cantina, na cozinha, no serviço social, no círculo de oração, no toque de instrumentos musicais, no solo de músicas, no canto em corais e na regência de corais; exerceram as funções de dirigir igrejas, dirigir cultos, ser pregadoras, ser ensinadoras, ser diretoras de institutos bíblicos, ser missionárias, ser diaconisas, ser presbíteras, ser evangelistas e ser pastoras.
Uma dessas mulheres foi a minha vovó (1903-1987) que aceitou Jesus Cristo, se batizou e serviu a Deus na Assembléia de Deus de São Cristóvão, no Rio de Janeiro, que tinha como Presidente, o Pr. Samuel Nyström e como Vice-Presidente, o Pr. Cícero Canuto de Lima e; de acordo com I Tm. 3. 1-13 e At. 6. 1-7, aspirou ao episcopado e reuniu as principais características para o exercício dessas funções como: tinha boa reputação, era cheia de sabedoria, era cheia do Espírito Santo, era irrepreensível, era apta para ensinar e era hospitaleira.
Ela tinha todas as qualificações exigidas pela Bíblia Sagrada para o recebimento de todos os títulos dados a meu vovô Pr. Isidro de Moraes, entretanto, pelo fato de ser mulher foi impedida por homens de os receberem; mas os recebeu de Deus que a escolheu e a capacitou como PASTORA MERCEDES DE MORAES para:
· dirigir uma congregação da Assembléia de Deus de São Cristóvão, na favela de Jacarezinho, no Rio de Janeiro; em parceria com o Pr. Isidro de Moraes;
· dirigir os cultos do Círculo de Oração da Assembléia de Deus de Jacarezinho, no Rio de Janeiro que, com o crescimento, recebeu a independência da Assembléia de Deus de São Cristóvão;
· pregar a Palavra de Deus nos Círculos de Oração e nas Uniões Femininas de várias denominações;
· ensinar a Palavra de Deus na Escola Bíblica Dominical, na Escola Bíblica de Férias, em Grupos de Estudo nos lares, etc.;
· ser missionária, sendo escolhida pelo Pastor e Missionário Eurico Bergstén para liderar a implantação de um movimento social na favela do Jacarezinho, no Rio de Janeiro, financiado pela Finlândia; de distribuição de sopa para os moradores em geral; tendo inclusive a responsabilidade de expandir para outras favelas do Rio de Janeiro esse movimento social que matou a fome de muitas famílias;
· ser diaconisa, como responsável pelo serviço social da Assembléia de Deus de Jacarezinho, no Rio de Janeiro que, entre tantas atribuições; preparava a sopa para ser servida aos moradores;
· ser presbítera, como responsável por dirigir o Círculo de Oração da Assembléia de Deus de Jacarezinho e coordenar as funções das demais mulheres que a assessoravam em Cultos de Bebê, Cultos nos Lares, Visitação dos membros, etc.;
· ser evangelista, dirigindo as reuniões que antecediam a distribuição da sopa com uma palavra de ânimo, coragem e reação aos moradores; para que eles e elas se conscientizassem dos seus direitos e deveres políticos;
· ser pastora, visitando o rebanho, apascentando o rebanho e protegendo o rebanho que Deus entregou em suas mãos.
A Prª. Mercedes de Moraes foi uma mulher politizada que não se intimidou com as proibições de homens para o exercício de seu ministério e influenciou homens em relação à necessidade de ordenar as mulheres de Deus que aspiram ao episcopado.

7 de ago de 2009

FELIZ DIA DA MÃE SOZINHA!

No 2º domingo de agosto comemoraremos o “DIA DOS PAIS”.
No 2º domingo de agosto comemoraremos o “DIA DA MÃE SOZINHA”.


Há vários fatores que podem deixar uma mãe sozinha:
· a gravidez indesejada;
· a saída de casa do marido;
· a fuga da violência familiar;
· a viuvez de marido vivo;
. a viuvez de marido morto;
. a anulação do casamento;
. a separação;
. o divórcio.

A “mãe sozinha” passa a ser “mãe” e “pai” ao mesmo tempo e, na maioria dos casos, passa a agir assim:
· não coloca o nome do pai, na certidão de nascimento dos filhos e das filhas;
· quer provar ao ex-companheiro que é capaz de criar seus filhos e suas filhas sem a ajuda dele;
· abre mão da pensão dos filhos e das filhas;
· fala mal o tempo todo, do pai de seus filhos e de suas filhas;
· esquece dela mesma e passa a viver em função dos filhos e das filhas.

Na Bíblia Sagrada, em I RS 17.8-16, a viúva de Sarepta, UMA MÃE SOZINHA, lutava para conseguir o seu sustento. Ela estava prestes a enfrentar a dor de ver o filho morrer diante de seus olhos, ser abandonado sem alguém para cuidar dele, se ela morresse primeiro.

Naquela época, as viúvas viviam quase desprotegidas pela lei e eram facilmente exploradas.

Quando a viúva de Sarepta conheceu Elias, pensou que iria preparar a sua última refeição.

O pedido de Elias para que ela fizesse um pequeno bolo para ela, antes de preparar comida para ela mesma e para seu filho, exigiu um tremendo exercício de fé.

Ela confiou na mensagem do profeta, fez o que ele pediu e foi recompensada com um suprimento constante de farinha e óleo.

Como MÃE SOZINHA, você vem lutando para conseguir o seu sustento. Você está prestes a enfrentar a dor de ver seus filhos e suas filhas abandonarem seus desejos, sonhos, planos,... Você teme morrer antes deles e delas e não ter ninguém para ampará-los, como você ampara. Você pensa que a sua vida está acabada por ser mãe solteira, separada, divorciada, viúva.

Neste DIA DA MÃE SOZINHA, Jesus exige de você, um tremendo exercício de fé. Ele quer que você confie na Sua Palavra, para ser recompensada com um suprimento constante no seu celeiro.

No DIA DOS PAIS e no DIA DA MÃE SOZINHA você reunirá seus filhos e suas filhas para:
· revelar ou lembrar a eles e a elas quem é pai deles ou delas;
· levá-los a bendizer esse pai;
· ensiná-los a declarar amor pelo pai.

Agindo dessa forma, como mãe, não estará mais sozinha e terá, também você, um FELIZ DIA DOS PAIS!