16 de jan de 2010

PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL

Como pastora conferencista, palestrante e pregadora da Palavra de Deus, comprometida com a responsabilidade de conscientizar os cristãos e as cristãs da necessidade de vivermos o efeito igualador do evangelho, garantido por Jesus Cristo na cruz do calvário; sempre fico em oração nos últimos quinze dias do ano que termina e nos primeiros quinze dias do novo ano, pedindo a Deus uma palavra profética que possa fazer a diferença na vida de homens e de mulheres que decidiram colocar Jesus Cristo em primeiro lugar nas suas vidas.

A palavra profética que Deus me deu em 2009 foi “AS MULHERES CRISTÃS QUEREM VIVER O EFEITO IGUALADOR DO EVANGELHO”. Avaliando o alcance dessa palavra profética nas conferências, palestras, pregações, etc.; realizadas em congressos, seminários, confraternizações, acampamentos, colóquios, orkut, afrokut, blog, etc.; pudemos ver Deus agindo na vida de homens e de mulheres que foram impactados e impactadas, muitas das vezes depois de se indignarem, de criticarem e de julgarem, mas foram convencidos e convencidas pelo Espírito Santo de Deus do pecado, da justiça e do juízo que cometiam, por falta de conhecimento e, puderam renovar as suas mentes, as suas vontades e as suas emoções, submetendo-as única e exclusivamente aos princípios defendidos por Jesus Cristo, na Bíblia Sagrada.

Após trinta dias em oração, a PALAVRA PROFÉTICA que Deus me deu para 2010 é “PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL”.

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda opressão é o ato ou efeito de oprimir,
exercício exagerado de poder ou de violência sobre indivíduos ou grupos, tirania, dificuldade de respirar, sufocação e oprimir é sobrecarregar com peso, apertar, comprimir, afligir, tiranizar, humilhar, vexar, causar opressão.

Infelizmente, contrariando os princípios defendidos por Jesus Cristo, ao longo de dois mil e nove anos, temos visto nas igrejas em geral, as mulheres sendo expostas a todo tipo de opressão, provocadas por homens de Deus e por mulheres de Deus.

As opressões em geral se manifestam de forma direta e/ou de forma indireta.

As opressões de forma direta são caracterizadas pelo(a):

  • ato de oprimir;
  • exercício exagerado de poder;
  • violência sobre indivíduos.

Podemos perceber as opressões de forma direta, através do ato de oprimir, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • entrem nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • assistam as assembléias das convenções de suas denominações;
  • tenham o direito de voz e de voto nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • Se filiem as convenções de suas denominações;
  • ocupem o púlpito e só dirijam as reuniões do círculo de oração, da união feminina, da assistência social, etc.; em “mesinhas” colocadas embaixo do púlpito;
  • sejam ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas;
  • dirijam igrejas;
  • dirijam cultos públicos;
  • se candidatem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja;
  • dirijam institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos;
  • doutrinem, ensinem e preguem em cultos públicos, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através do exercício exagerado de poder, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • ocupem o púlpito de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado ocupar o púlpito com o traje que escolher;
  • cantem no coral de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado cantar com o traje que escolher;
  • toquem instrumentos musicais na orquestra, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado tocar com o traje que escolher;
  • atuem como diaconisas, presbíteras, evangelistas e pastoras, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado atuar nos mesmos cargos com o traje que escolher, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através da violência sobre indivíduos, quando determinadas mulheres que sugerem, criticam e questionam são proibidas de:

· serem ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são ordenadas;

· dirigirem igrejas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são enviadas para dirigir;

· dirigirem cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são designadas para dirigir;

· se candidatarem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são indicadas para concorrerem aos mesmos;

· dirigirem institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são convidadas para dirigi-los;

· doutrinarem, ensinarem e pregarem em cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são escaladas para doutrinar, ensinar e pregar nos referidos cultos, etc.

As opressões de forma indireta são caracterizadas pelo(a):

  • efeito de oprimir;
  • violência sobre grupos;
  • sobrecarga com peso.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através do efeito de oprimir, quando as mulheres sem mais suportar a opressão na igreja:

  • desistem de sugerir, criticar e questionar;
  • se calam, se conformam e se resignam;
  • desistem do exercício de seus ministérios;
  • adoecem acometidas de enfermidades como estresse, depressão, síndrome do pânico, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da violência sobre grupos, quando aos poucos departamentos da igreja liderados por mulheres:

  • são negadas verbas para investimento e as mulheres precisam gerar recursos através de bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens as verbas são liberadas com presteza;
  • há o corte de verbas, tendo as mulheres de complementá-las com bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens o corte não acontece;
  • são exigidos o cumprimento de metas difíceis de serem alcançadas enquanto que nos departamentos liderados por homens, as metas exigidas são factíveis;
  • são os únicos departamentos em que as mulheres podem doutrinar, ensinar e pregar, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da sobrecarga com peso, quando se exige das poucas mulheres que ocupam cargos na igreja:

  • entrarem e assistirem as assembléias das convenções de suas denominações, porém sem direito a se filiarem e sem direito a voz e ao voto;
  • terem o direito de se candidatarem apenas aos cargos de secretária e/ou tesoureira, na diretoria da igreja;
  • executarem as funções de pastora, evangelista, presbítera e diaconisa, no entanto, sendo proibidas de receberem esses títulos e recebendo o título de missionárias;
  • um desempenho acima do desempenho exigido dos homens que também ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo;
  • uma dedicação de tempo integral, sem remuneração, quando aos homens que ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo não se exige e/ou exigia essa dedicação e os mesmos eram remunerados para o exercício do cargo;
  • entregarem o cargo, muitas das vezes por telefone, sem nenhuma justificativa plausível quando aos homens, normalmente existe uma reunião formal para que se dê a entrega do cargo, além de, ao mesmo tempo, elevá-lo a um outro cargo, de preferência superior ao que está deixando;
  • exercerem o seu ministério em parceria com o marido, realizando as mesmas funções que ele e, o marido recebe o título de pastor, evangelista, presbítero e diácono e a mulher é proibida de recebê-los, além de o marido ser remunerado e a mulher não, etc.

Na Bíblia Sagrada, em Zc. 9. 8, 12, Deus faz uma promessa de proteção para Judá, enquanto seus vizinhos estiverem nas garras dos opressores e das opressoras (14): “Defenderei a minha casa contra os invasores e as invasoras. Nunca mais um opressor ou uma opressora passará por cima do meu povo, porque agora eu vejo isso com os meus próprios olhos. Voltem à sua fortaleza, ó prisioneiros, ó prisioneiras da esperança; pois hoje restaurarei tudo em dobro para vocês”.

Em 2010, as promessas de Deus para as mulheres que foram e/ou estão sendo oprimidas por homens e mulheres, nas igrejas em geral, são:

  1. Deus está vendo com os seus próprios olhos, cada uma das opressões de que as mulheres de Deus têm sido vítimas na Casa de Deus;
  2. Deus defenderá cada mulher de Deus contra todas as opressões de que têm sido vítimas na Casa de Deus;
  3. Deus nunca mais permitirá que os opressores e as opressoras, que têm agido na Casa de Deus, passem por cima das mulheres de Deus;
  4. Deus restaurará em dobro tudo que foi perdido por cada mulher de Deus, pela opressão sofrida na Casa de Deus.

Mas, para que você mulher, viva essas promessas em sua vida, a partir do ano de 2010, precisa tomar alguns posicionamentos:

    • colocar realmente Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo em primeiro lugar na sua vida;
    • admitir que você está sendo oprimida;
    • identificar que tipo de opressão você está sofrendo;
    • ter a coragem de jejuar, orar e pesquisar a Palavra de Deus para descobrir tudo que Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo dizem contra a opressão;
    • ir a Casa de Deus com o compromisso de não olhar para os opressores e as opressoras e sim para Deus, para Jesus Cristo e para o Espírito Santo;
    • voltar a Casa de Deus, como prisioneira da esperança de que, o que diz a Palavra de Deus contra a opressão prevalecerá, EM NOME DE JESUS!