16 de ago de 2009

LAPIDOTE ENXERGOU DÉBORA COMO PROFETISA, JUÍZA E PASTORA

No Velho Testamento vários homens de Deus valorizaram mulheres de Deus numa época em que:
.o papel da mulher era sempre enfocado dentro das relações domésticas;
.se uma mulher não tivesse filhos ou filhas era sinal de que Deus não se agradava dela;
.a mulher era tratada como uma possessão do homem.
A história de um desses homens está registrada na Bíblia Sagrada em Jz 04.04 a 05.32 que fala de um homem que, a julgarmos pela liberdade com que sua mulher agia, valorizava muito a mulher de Deus com quem se casou.
Lapidote era o nome do marido de Débora. Aparentemente, o casal morava nas vizinhanças de Ramá e Betel.
Ao que parece, Débora era uma dona de casa quando foi escolhida por Deus para servir à sua nação.
Apesar de suas responsabilidades domésticas provavelmente terem sido colocadas em segundo plano, durante seu serviço ao país, ela descreveu a si mesma como sendo “mãe em Israel”.
Deus a levantou e lhe deu habilidades de liderança. Débora desempenhou a função de:
.profetisa, ao despertar os filhos de Israel para resistirem a Jabim que havia oprimido o povo israelita por 20 anos;
.juíza, ao julgar Israel de acordo com a Lei de Moisés;
.pastora, ao usar os seus dons proféticos para trazer consolo ao povo de Israel.
Débora consentiu em ir com Baraque, mas predisse que a glória pela vitória seria atribuída a uma mulher.
O acompanhamento de Débora teve por desígnio assegurar a presença de Deus, emprestando coragem a Baraque e ao exército de 10 000 homens.
Considerando tais situações, cresce ainda mais a nossa admiração como mulheres, a Lapidote, marido de Débora.
O fato da Bíblia Sagrada não registrar muitas informações sobre Lapidote, leva-nos a INFERIR que:
.o marido de Débora não tentou impedi-la de exercer a habilidade de liderança que Deus a tinha dado;
.o marido de Débora foi compreensivo ao entender que ela, ao assumir o seu ministério, não poderia administrar o lar sozinha;
.o marido de Débora não teve inveja do seu desempenho político, militar e espiritual;
.o marido de Débora não teve medo do relacionamento dela com Baraque e um exército de 10 000 homens;
.o marido de Débora não teve ciúme dos filhos e filhas espirituais dela.
Lapidote, o marido de Débora, demonstrou ser um homem de Deus.
Ser um homem de Deus é ser um homem capaz de:
.não impedir uma mulher de Deus de exercer a sua habilidade de liderança;
.compreender que não tem como uma mulher de Deus assumir o seu ministério e administrar o lar sozinha;
.não ter inveja do ministério de uma mulher de Deus;
.não ter medo do relacionamento de uma mulher de Deus com seus filhos e filhas espirituais;
.não ter ciúme dos filhos e filhas espirituais de uma mulher de Deus.

Nenhum comentário: