30 de mar de 2012

Quebra de paradigma: Dezenas de mulheres são ordenadas PASTORAS


Sáb, 10 de Março de 2012 00:00
Uma Consagração histórica, idealizado na Convenção Evangélica das Assembleias de Deus no Distrito Federal - CEADDIF, órgão que congrega ministros da respectiva organização evangélica, aconteceu neste sábado, 10 de março de 2012, com a presença da Secretária de Estado da Mulher, Olgamir Amancia, onde, pela primeira vez, foram ordenadas cerca de 60 pastoras ao “Santo Ministério” da Igreja evangélica em Taguatinga. Em 100 anos da Igreja Assembleia de Deus, as mulheres não podiam ser consagradas a pastoras.
A Pastora Waldicéia de Moraes Teixeira da Silva agradeceu a presença da Secretária de Estado da Mulher pela recepção nas Conferências ocorridas no final de 2011. A pastora ressaltou ser a única mulher evangélica eleita delegada à Conferência e também revelou que considera que essa ordenação é uma quebra de paradigma. “Como Maria Madalena, Suzana e outras mulheres da bíblia, nunca esperamos ser ordenadas a pastoras para sermos discípulas de Cristo” enfatizou Waldicéia
.Olgamir Amancia, Secretária da Mulher manifestou ser um prazer ouvir e acatar as reivindicações não só de Waldicéia, mas de todas as mulheres. Ela enfatizou que a causa das mulheres é um compromisso do Governador Agnelo Queiroz, pois ele reconhece que as mulheres foram discriminadas e subjugadas por muitos anos.
Para a Secretária “a dominação subjugadora é resultado de uma cultura machista e não está vinculada com a forma como Cristo, Deus ou Espírito Santo nos coloca. Quero registrar que eu penso que essa conversão de mulheres a pastoras é um momento de magnitude, pois materializa aquilo que - não tenho dúvida - é o desejo de Cristo, ou seja, uma sociedade igualitária”, finalizou a Secretária de Estado da Mulher.


Sônia Corrêa e Cirlene Carvalho
Assessoria DE Comunicação (ASCOM) | Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal (SEMDF)

19 de out de 2011

3ª CONFERÊNCIA Distrital DE Políticas para as MULHERES será NESTE FINAL DE SEMANA

Conferência da Mulher será neste final de semana

A 3ª Conferência Distrital de Políticas para as Mulheres do Distrito Federal acontece nos dias 21, 22 e 23 de outubro de 2011, no Museu da República Honestino Guimarães. Para a abertura que ocorrerá às 19h do dia 21, são esperadas autoridades das diversas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário, além de expressivo número de mulheres e movimentos sociais de todas as regiões do DF.

O dia 22 inicia com a votação do Regimento da Conferência e em seguida serão realizadas mesas redondas, trabalhos em grupo, rodas de conversas conforme temário elencado para a 3ª Conferência.

Já no domingo, 23, acontece uma grande plenária onde haverá a discussão e votação dos resultados dos grupos e a escolha das delegadas que representarão o Distrito Federal na Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres.

Durante o evento sucederão momentos de homenagens a mulheres que tiveram sua trajetória voltada para a luta por um mundo de iguais, ou que prestam serviços relevantes à causa da emancipação das mulheres. Também serão homenageadas mulheres que foram vitimadas recentemente no DF, tornando-se ícones contemporâneos contra a violência doméstica.

PROGRAMAÇÃO


Museu Nacional Honestino Guimarães
Dia 21 de outubro de 2011 – sexta-feira - Museu da República Honestino Guimarães - Esplanada dos Ministérios, perto da Rodoviária do Plano Piloto


17h - Credenciamento
19:30 h – ATO DE ABERTURA e homenagens
22:00 h - Jantar

Dia 22 de outubro – sábado - Museu da República Honestino Guimarães - Esplanada dos Ministérios, perto da Rodoviária do Plano Piloto

8:30h : Plenária para votação do Regimento da III CDPM
9:45 h - Pausa para o café
10:00h Mesa Redonda: “O Desenvolvimento do Distrito Federal e o Protagonismo das Mulheres”
Painelistas:
• Professora Doutora Lourdes Bandeira – UnB
• Olgamir Amância – Secretária de Estado da Mulher – DF
• Arlete Sampaio – Secretária de Estado do Desenvolvimento Social e Transferência de Renda – SEDEST- DF
• Josefina dos Santos – Secretária de Promoção da Igualdade Racial. – SEPIR-DF
• Fórum de Mulheres do Distrito Federal
• Marcha Mundial de Mulheres
• União Brasileira de Mulheres

12:30h – ALMOÇO

14:00H Trabalho em grupos

Total de 10 grupos conforme os tópicos elencados no Temário da III CDPM.
1- Autonomia econômica e igualdade no mundo do trabalho com inclusão social;

2- Educação inclusiva, não sexista, não racista, não homofóbica, não lesbofóbica;

3- Saúde das mulheres, direitos sexuais e direitos reprodutivos;

4- Enfrentamento de todas as formas de violência contra as mulheres;

5- Participação das mulheres nos espaços de poder e decisão;

6- Desenvolvimento sustentável no meio rural e na cidade, com justiça social e ambiental, e segurança alimentar;

7- Direito à terra e à moradia digna com toda a infraestrutura social , considerando as realidades específicas dos meios rural e urbano e comunidades tradicionais;

8- Cultura, comunicação e mídia igualitárias democráticas e não discriminatórias ;

9- Enfrentamento do racismo, sexismo e lesbofobia;

10- Enfrentamento das desigualdades geracionais, com atenção especial às jovens e idosas.
18:00h Encerramento dos trabalhos dos grupo


Câmara Legislativa do DF
Dia 23 de outubro- Domingo - Auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal - Praça Municipal, Quadra 2, Lote 5 - Setor de Indústrias Gráficas , acesso via Eixo Monumental


8:00h – Café da manhã
9:00h – Plenária para discussão e votação dos resultados dos grupos
12:00h – Almoço
14:00h - Escolha das delegadas para a III Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres
15:00h - Encerramento dos trabalhos da III CDPM

11 de out de 2011

CONFERÊNCIA LIVRE DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS

A Paz de Deus, Axé, Shalon, ... a todas!

A 3ª Conferência Distrital de Políticas para as Mulheres já começou!
Já foram realizadas no dia 08/10/2011 as Conferências Regionais da Ceilândia e do Gama e no dia 15/10/2011, às 8h, na Universidade de Brasília, no ICC Norte, no Campus Universitário Darcy Ribeiro, no Anfiteatro 11; acontecerá a Conferência Regional de Brasília e às 14 h, no Auditório do Bloco Antigo da Universidade de Brasília em Planaltina, Área Universitária Nº 1, Vila Nossa Senhora de Fátima, Planaltina, DF, acontecerá a Conferência Regional de Planaltina.
No entanto, não podemos esquecer da CONFERÊNCIA LIVRE DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS que está sendo amplamente DIVULGADA NOS SÍTIOS:
http://conferenciamulheresdf.blogspot.com/;
http://www.agenciabrasilia.df.gov.br/042/04299003.asp?ttCD_CHAVE=158802;
http://suacidade.org/brasilia/comecam-conferencias-de-politicas-para-as-mulheres;
http://sermulher-muitobom.blogspot.com/2011/10/3-conferencia-distrital-de-politicas.html;
http://negrosnegrascristaos.ning.com/profile/WaldiceiadeMoraesTeixeirada;
http://www.ceaddif.org/; etc.
Para tanto, CONVOCAMOS AS MULHERES CATÓLICAS, EVANGÉLICAS, ESPÍRITAS E DE RELIGIÕES DE MATRIZ AFRICANA, etc. (Ordem de convocação, exposição e apresentação de acordo com o número de adeptos do Novo Mapa das Religiões no Brasil), PARA participarem da CONFERÊNCIA LIVRE DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS que acontecerá:
Dia: 13/10/2011 (quinta-feira)
Hora: 18h às 21h
Local: Auditório da Casa da Cultura da América Latina (CAL-UnB), Setor Comercial Sul, Qd. 04, Edifício Anápolis, Calçada das Lojas Americanas, Em frente ao Posto Policial
Convide a suas parentas, colegas, amigas, vizinhas, etc. Todas são livres para expressarem suas opiniões e apresentarem suas propostas através do e-mail .

Contatos:
Tel. (TIM): (61) 8241 8272
(OI): (61) 9224 4421
E-mail: mulheresorganizacoesreligiosas@gmail.com
Fiquem na ...
... Paz de Deus ( A Paz que ninguém consegue entender);
... Axé ( A Força Vital que emana da presença divina, segundo a tradição africana iorubá);
... Shalon ( A Paz que não significa apenas ausência de inimizade, briga e guerra; mas inclui também tranqüilidade, segurança, saúde, prosperidade e bem-estar, no mundo natural e no mundo espiritual; para todas as filhas de Deus e todos os filhos de Deus) ...!


COLETIVO DE MULHERES DAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO DISTRITO FEDERAL

3ª Conferência Distrital de Políticas para as Mulheres do Distrito Federal

CONFERÊNCIA LIVRE
As Mulheres nas Organizações Religiosas
A Constituição da República Federativa do Brasil e o Código Civil Brasileiro garantem que o nosso país:
• é um Estado laico;
• tem liberdade religiosa;
• é livre a criação, a organização, a estruturação interna e o funcionamento das organizações religiosas.
No entanto, considerando que:
• o Novo Mapa das Religiões no Brasil divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 23/08/2011, revela que as mulheres representam a maioria entre adeptos de 23 das 25 religiões listadas como as mais populares pela pesquisa, como a católica, a protestante, a espírita e as religiões de matriz africana;
• a maioria dos cargos de liderança das 25 religiões pesquisadas não são ocupados por mulheres;
• o trabalho realizado pelas mulheres, na maioria das 25 religiões pesquisadas, se limita a tarefas conhecidas como de serviços gerais, ficando o ofício sacerdotal reservado aos homens.
CONVOCAÇÃO
Convocamos a todas as mulheres católicas, protestantes, espíritas, das religiões de matriz africana, etc. (Ordem de convocação, exposição e apresentação de acordo com o número de adeptos do Novo Mapa das Religiões no Brasil); para a CONFERÊNCIA LIVRE com o tema AS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS com o objetivo de:
• avaliarmos o papel das mulheres nas organizações religiosas;
• apresentarmos resultados do trabalho de mulheres nas organizações religiosas;
• encaminharmos a Comissão Organizadora da 3ª Conferência Distrital de Mulheres as reivindicações das mulheres das organizações religiosas.
A CONFERÊNCIA LIVRE DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS acontecerá no:
Dia: 13/10/2011 (quinta-feira)
Hora: 18h às 21h
Local: Auditório da Casa da Cultura da América Latina (CAL-UnB), Setor Comercial Sul, Qd. 4, Edifício Anápolis, na calçada das Lojas Americanas, em frente ao Posto Policial
PROGRAMAÇÃO
18h 00 às 18h15: Credenciamento
18h 15 às 18h20: Abertura
18h 20 às 18h 50: Mesa de Abertura
• Secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal: Profª Olgamir Amância Ferreira
O PAPEL DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
Moderadora: Profª. e Prª. Helena Souza de Oliveira (Msc. em Educação, Chefe de Controladoria do SENAC-DF, Moderadora do Queremos Ética)
18h 50 às 19h05: Painel 1 “As Mulheres no Catolicismo”
Profª. Ana Firmina Borges Costa (Especialista em Planejamento Familiar Natural, Habilitada em Ensino Religioso)
19h05 às 19h20: Painel 3 “As Mulheres no Protestantismo”
Profª., Prª. e Teóloga Waldicéia de Moraes Teixeira da Silva (Relatora da Comissão de Gênero da Aliança de Negras e Negros Evangélicos do Brasil - ANNEB, filiada ao Conselho de Mulheres Evangélicas do Distrito Federal – COMEV-DF)
19h20 às 19h35: Painel 2 “As Mulheres no Espiritismo”
Profª. Elza Caetana dos Santos (Coordenadora da OSCIP ESPAÇO 35, Presidente do MAE - Movimento de Ascensão e Assistência Espírita “Maria de Nazaré”)
19h35 às 19h50: Painel 4 “As Mulheres nas Religiões de Matriz Africana”
Ya. Irany Eugenia Oliveira (Professora de Artesanato e Arte Culinária do Kwe Aziri Tobossi Unde)
O TRABALHO DAS MULHERES NAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
Moderadora: Profª. e Prª. Ângela Maria Pedreira Santana (Pós-Graduada em Administração Escolar, integrante do Comitê de Instalação do Conselho de Mulheres da Convenção Evangélica das Assembléias de Deus do Distrito Federal – CEADDIF)
19h50 às 20h00: Profª. Ana Firmina Borges Costa (Especialista em Planejamento Familiar Natural, Habilitada em Ensino Religioso)
20h00 às 20h10: Prª. Alfa Monteiro (Presidenta do Projeto Encontro de Mulheres que Oram)
20h10 às 20h20: Maria José Dias Gonçalves (Sociedade Espírita Alan Kardec)
20h20 às 20h30: Ya. Elvira Freitas Barbosa Filha Boa Morte (Presidenta do Projeto Comunidade Aberta para as Diferenças Sociais do Ilê Axé Logun Cetomi)
AS REIVINDICAÇÕES DAS MULHERES DAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS
Moderadora: Márcia Regina Massari (Técnica de Enfermagem, Assistente Social, Coordenadora de Grupo de Terapia Comunitária para Mulheres)
20h30 às 20h55: Debate
20h55 às 21:00: Encaminhamentos
Contatos:
Tel. (TIM): (61) 8241 8272
(OI): (61) 9224 4421
E-mail: mulheresorganizacoesreligiosas@gmail.com

REALIZAÇÃO:
COLETIVO DE MULHERES DAS ORGANIZAÇÕES RELIGIOSAS DO DISTRITO FEDERAL

1 de mar de 2010

MULHER, NEGRA E PASTORA É PROIBIDA DE MINISTRAR EM IGREJA POR VESTIR UM TERNINHO DE CALÇA COMPRIDA

Tenho sido muito cobrada pelos seguidores e pelas seguidoras do meu blog por não tê-lo aberto para comentários e por não compartilhar as alegrias e as tristezas de ser mulher, negra e pastora.
Entendo que devo uma explicação aos leitores e as leitoras dos posts que tem sido a minha motivação nesta árdua luta como discípula de Jesus Cristo por conscientizarmos os cristãos e as cristãs da necessidade de sermos a ponta de lança na sociedade em geral, para que vivamos o efeito igualador do evangelho conquistado na cruz do calvário por Jesus Cristo.
Em relação aos comentários, a visão que Deus nos deu para quando pudermos abri-lo para os seguidores e para as seguidoras é de que não devamos simplesmente responder a cada sugestão, crítica e/ou reclamação, emitindo a nossa opinião pessoal e sim dar toda resposta de acordo com a Bíblia Sagrada, considerando que o objetivo principal do nosso blog é mostrarmos o que é ser mulher de acordo com a Palavra de Deus.
Como estamos fazendo um curso de pós-graduação em Teologia e, escrevendo este ano, a segunda das monografias do curso, que exige de seus estudantes, a defesa de dez teses diferentes; não tem sobrado tempo até para postarmos no blog com a freqüência que desejaríamos e conseqüentemente para darmos as respostas conforme a visão que o Senhor nos revelou.
Em relação as alegrias e as tristezas de ser mulher, negra e pastora a visão de Deus foi para que compartilhássemos através da criação de uma página no twitter, a fim de que, através de nosso testemunho, pudéssemos ser instrumento de Deus para a cura, a libertação e a restauração de mulheres na sociedade em geral e, pelos mesmos motivos citados no parágrafo anterior, não temos condições de criá-la este ano.
No entanto, levando-se em consideração que quando Deus libera uma palavra profética para os seus discípulos e para as suas discípulas, o primeiro sinal de que a mesma se cumprirá é fazer com que esse discípulo e essa discípula viva esta palavra profética, não posso deixar de compartilhar com os nossos seguidores e com as nossas seguidoras o primeiro sinal que Deus nos deu de que cumprirá as quatro promessas que ELE fez às mulheres para 2010.
A palavra profética liberada por Deus para as mulheres, no dia 16 de janeiro de 2010 foi: PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL.
O primeiro sinal que Deus nos deu aconteceu exatamente oito dias depois, no dia 24 de janeiro de 2010 e se desenvolveu da seguinte forma, na minha igreja:
• após a Escola Bíblica Dominical, fui procurada pelo pastor que faz a escala de pregadores em cultos públicos, que me indagou se tinha algum compromisso para o culto das 17h;
• diante de minha negativa, perguntou-me se poderia pregar no referido culto, sem fazer nenhuma ressalva, e disse-lhe que Deus tinha me chamado para ministrar a Palavra de Deus e aceitava o convite;
• fui para casa agradecendo ao Senhor por ter me escolhido para o SEU ministério, como sempre faço ao ser convidada para ministrar a Palavra de Deus, orei, pedi a Deus a Palavra que ELE tinha para os seus discípulos e as suas discípulas que ELE levaria ao culto das 17h, anotei a Palavra liberada e cheguei a igreja;
• participei de toda liturgia do culto com meu marido ao meu lado até que percebi que o referido pastor tinha chamado o mesmo lá fora e, meu marido voltou passando mal, porque ele não respeitou o meu pastorado, comunicando-o previamente que me proibiria de pregar;
• sem saber o motivo do mal estar de meu marido, perguntei-o se gostaria que orasse por ele. Peguei o óleo da unção, o ungi e o mesmo foi curado por Deus, continuando a participação na liturgia do culto normalmente;
• até que se iniciou o momento de Ação de Graças, Louvor e Adoração a Deus, que precede a ministração da Palavra de Deus e, assim que começou a última música, o referido pastor me chamou lá fora e me comunicou que não me deixaria ministrar a Palavra de Deus porque eu estava vestida com um terninho de calça comprida e mangas compridas, com uma blusa rosa com colete clerical;
• ao ser exposta a opressão de forma direta, através do exercício exagerado de poder, provocada pelo referido pastor; até porque no domingo anterior ministrei a Palavra de Deus com uma calça comprida marrom e uma blusa listrada marrom e bege; simplesmente respondi que estava tudo bem, pois Deus já tinha liberado através da minha vida a palavra profética para as mulheres, em 2010, com a garantia de quatro promessas que, agora mais do que nunca, tinha certeza que viveríamos.
É importante relatar que na referida igreja não se impõe nenhuma condição em relação a vestimenta para que os homens e as mulheres participem de reuniões, de assembléias, de ensaios, de festas, de confraternizações, da liturgia dos cultos públicos na nave do templo, etc.
Porém, as mulheres são proibidas de ocuparem o púlpito, de cantarem nos corais, de tocarem na orquestra e de atuarem como diaconisas e missionárias; se estiverem vestidas de calça comprida e sem mangas.
É interessante notar que para ocupar o púlpito, para cantar nos corais, para tocar na orquestra, para atuarem como diáconos, presbíteros, evangelistas e pastores; a ordem do referido pastor é que os homens vistam terno e gravata, no entanto, inclusive neste culto das 17h, em que fui impedida de ministrar a Palavra de Deus por não usar a vestimenta adequada, segundo o referido pastor; os homens ocuparam o púlpito sem terno e gravata e não foram impedidos por ele de ministrarem a Palavra de Deus.
A prova de que esta manifestação explícita de opressão na igreja, de forma direta, através do exercício exagerado de poder não me atingiu é que, mesmo sabendo que meu marido estava curado, pois a oração dos justos e das justas pode muito em seus efeitos; Deus me incomodou para que o levasse até o hospital.
Ao chegarmos lá, entendemos o porquê do incômodo. Enquanto meu marido era atendido, estava internado também ao lado de sua cama, um jovem acompanhado de sua mamãe, de 19 anos e, inicialmente tive o ímpeto de perguntá-lo porque estava no hospital e Deus me alertou de que deveria esperar que ele se manifestasse.
Não demorou muito e começamos o seguinte diálogo,iniciado pelo jovem:
_ Você é de que igreja?
_ Sou da Assembléia de Deus.
_ E você, de que igreja é?
_ Eu era da igreja mas um pastor começou a me “encher o saco” por causa da minha roupa, do comprimento do meu cabelo, do ritmo das músicas que ouvia, de jogar bola, etc.; então eu saí e me afundei nas drogas.
_ A igreja realmente errou e continua errando muito não só com os jovens mas com todos e todas que cobram dela coerência em relação ao cumprimento da Palavra de Deus.
_ É, não agüentava mais aquela pressão. Cheguei a um ponto que só estava indo a igreja por causa da minha mamãe.
_ Eu queria te pedir perdão em nome da igreja por toda opressão que você sofreu. E quero te dizer que Deus tem um propósito tremendo com a sua vida.
_ É, eu percebi isto o tempo todo que estava no fundo do poço. Deus me livrou de morrer nas mãos de um traficante, várias vezes.
_ Deus quer cumprir o propósito que Ele tem contigo, agora, você precisa querer pois Deus não obriga ninguém a aceitá-lo. Você quer tomar a decisão de aceitar o tratamento de Deus na sua vida?
_ Sim.
_Vai fazer parte deste tratamento você se internar em uma casa de recuperação que utilize a Palavra de Deus, e cumprir os nove meses do programa, topa?
_ Topo. Você sabe de uma casa de recuperação em que eu possa me internar? Eu vou para lá e creio que vou sair de lá curado.
O jovem que antes de dialogarmos não parava quieto na cama, perturbando toda a equipe médica e deixando a mamãe dele estressada, parou para receber a Palavra de Deus. Logo após, manifestou o desejo de dormir, o que não acontecia há dias, tomou a medicação e descansou.
A mamãe dele ficou tão impressionada que manifestou também o desejo de voltar para a igreja, depois de deixarmos claro para ela que a cura de seu filho também dependeria dela entrar em uma campanha específica de oração diária por ele.
Todos os exames feitos pelo meu marido deram negativo, confirmando que ele ficou curado após ter recebido a oração, naquele momento tão doloroso para nós e o nome de Jesus Cristo foi glorificado!
Foi então que percebemos que o Senhor nos levou até aquele hospital porque queria confirmar que quando Deus libera uma palavra profética para os seus discípulos e para as suas discípulas, o primeiro sinal de que a mesma se cumprirá é fazer com que esse discípulo e essa discípula viva esta palavra profética, para que estejam preparados e preparadas para ministrarem a vida das pessoas que ELE enviará para serem curadas, libertas e restauradas.
Após sentir na pele a dor de viver todas as demonstrações de opressão de forma direta e de forma indireta, na Casa de Deus, recebi o bálsamo do Senhor nas semanas subseqüentes em que os convites para ministrar a Palavra de Deus se multiplicaram de uma forma extraordinária, praticamente em todas as denominações, inclusive para organizar uma Celebração de Paz em um Centro de Ensino Médio, em que convidei para ministrar a Palavra de Deus o próprio pastor que me impediu de ministrar na igreja por ter uma vestimenta inadequada e, organizar em outro Centro de Ensino Médio um evento cultural de acordo com os princípios da Palavra de Deus.
Em 2010, as promessas de Deus para as mulheres que foram e/ou estão sendo oprimidas por homens e mulheres, nas igrejas em geral, são:
1. Deus está vendo com os seus próprios olhos, cada uma das opressões de que as mulheres de Deus têm sido vítimas na Casa de Deus;
2. Deus defenderá cada mulher de Deus contra todas as opressões de que têm sido vítimas na Casa de Deus;
3. Deus nunca mais permitirá que os opressores e as opressoras, que têm agido na Casa de Deus, passem por cima das mulheres de Deus;
4. Deus restaurará em dobro tudo que foi perdido por cada mulher de Deus, pela opressão sofrida na Casa de Deus.
Tome posse destas promessas e creia que Deus cumprirá cada uma delas em sua vida, EM NOME DE JESUS CRISTO!


16 de jan de 2010

PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL

Como pastora conferencista, palestrante e pregadora da Palavra de Deus, comprometida com a responsabilidade de conscientizar os cristãos e as cristãs da necessidade de vivermos o efeito igualador do evangelho, garantido por Jesus Cristo na cruz do calvário; sempre fico em oração nos últimos quinze dias do ano que termina e nos primeiros quinze dias do novo ano, pedindo a Deus uma palavra profética que possa fazer a diferença na vida de homens e de mulheres que decidiram colocar Jesus Cristo em primeiro lugar nas suas vidas.

A palavra profética que Deus me deu em 2009 foi “AS MULHERES CRISTÃS QUEREM VIVER O EFEITO IGUALADOR DO EVANGELHO”. Avaliando o alcance dessa palavra profética nas conferências, palestras, pregações, etc.; realizadas em congressos, seminários, confraternizações, acampamentos, colóquios, orkut, afrokut, blog, etc.; pudemos ver Deus agindo na vida de homens e de mulheres que foram impactados e impactadas, muitas das vezes depois de se indignarem, de criticarem e de julgarem, mas foram convencidos e convencidas pelo Espírito Santo de Deus do pecado, da justiça e do juízo que cometiam, por falta de conhecimento e, puderam renovar as suas mentes, as suas vontades e as suas emoções, submetendo-as única e exclusivamente aos princípios defendidos por Jesus Cristo, na Bíblia Sagrada.

Após trinta dias em oração, a PALAVRA PROFÉTICA que Deus me deu para 2010 é “PELO FIM DA OPRESSÃO ÀS MULHERES NAS IGREJAS EM GERAL”.

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda opressão é o ato ou efeito de oprimir,
exercício exagerado de poder ou de violência sobre indivíduos ou grupos, tirania, dificuldade de respirar, sufocação e oprimir é sobrecarregar com peso, apertar, comprimir, afligir, tiranizar, humilhar, vexar, causar opressão.

Infelizmente, contrariando os princípios defendidos por Jesus Cristo, ao longo de dois mil e nove anos, temos visto nas igrejas em geral, as mulheres sendo expostas a todo tipo de opressão, provocadas por homens de Deus e por mulheres de Deus.

As opressões em geral se manifestam de forma direta e/ou de forma indireta.

As opressões de forma direta são caracterizadas pelo(a):

  • ato de oprimir;
  • exercício exagerado de poder;
  • violência sobre indivíduos.

Podemos perceber as opressões de forma direta, através do ato de oprimir, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • entrem nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • assistam as assembléias das convenções de suas denominações;
  • tenham o direito de voz e de voto nas assembléias das convenções de suas denominações;
  • Se filiem as convenções de suas denominações;
  • ocupem o púlpito e só dirijam as reuniões do círculo de oração, da união feminina, da assistência social, etc.; em “mesinhas” colocadas embaixo do púlpito;
  • sejam ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas;
  • dirijam igrejas;
  • dirijam cultos públicos;
  • se candidatem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja;
  • dirijam institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos;
  • doutrinem, ensinem e preguem em cultos públicos, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através do exercício exagerado de poder, quando existe a proibição de que as mulheres:

  • ocupem o púlpito de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado ocupar o púlpito com o traje que escolher;
  • cantem no coral de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado cantar com o traje que escolher;
  • toquem instrumentos musicais na orquestra, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado tocar com o traje que escolher;
  • atuem como diaconisas, presbíteras, evangelistas e pastoras, de calça comprida e sem mangas e, ao homem é facultado atuar nos mesmos cargos com o traje que escolher, etc.

Podemos perceber as opressões de forma direta, nas igrejas que já avançaram um pouco, através da violência sobre indivíduos, quando determinadas mulheres que sugerem, criticam e questionam são proibidas de:

· serem ordenadas a pastoras, evangelistas, presbíteras e diaconisas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são ordenadas;

· dirigirem igrejas e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são enviadas para dirigir;

· dirigirem cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são designadas para dirigir;

· se candidatarem aos cargos de presidente e vice-presidente da igreja e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são indicadas para concorrerem aos mesmos;

· dirigirem institutos, seminários, faculdades, universidades bíblicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são convidadas para dirigi-los;

· doutrinarem, ensinarem e pregarem em cultos públicos e as demais mulheres que se calam, se conformam e se resignam são escaladas para doutrinar, ensinar e pregar nos referidos cultos, etc.

As opressões de forma indireta são caracterizadas pelo(a):

  • efeito de oprimir;
  • violência sobre grupos;
  • sobrecarga com peso.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através do efeito de oprimir, quando as mulheres sem mais suportar a opressão na igreja:

  • desistem de sugerir, criticar e questionar;
  • se calam, se conformam e se resignam;
  • desistem do exercício de seus ministérios;
  • adoecem acometidas de enfermidades como estresse, depressão, síndrome do pânico, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da violência sobre grupos, quando aos poucos departamentos da igreja liderados por mulheres:

  • são negadas verbas para investimento e as mulheres precisam gerar recursos através de bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens as verbas são liberadas com presteza;
  • há o corte de verbas, tendo as mulheres de complementá-las com bazares, festas, cantinas, etc.; enquanto que nos departamentos liderados por homens o corte não acontece;
  • são exigidos o cumprimento de metas difíceis de serem alcançadas enquanto que nos departamentos liderados por homens, as metas exigidas são factíveis;
  • são os únicos departamentos em que as mulheres podem doutrinar, ensinar e pregar, etc.

Podemos perceber as opressões de forma indireta, através da sobrecarga com peso, quando se exige das poucas mulheres que ocupam cargos na igreja:

  • entrarem e assistirem as assembléias das convenções de suas denominações, porém sem direito a se filiarem e sem direito a voz e ao voto;
  • terem o direito de se candidatarem apenas aos cargos de secretária e/ou tesoureira, na diretoria da igreja;
  • executarem as funções de pastora, evangelista, presbítera e diaconisa, no entanto, sendo proibidas de receberem esses títulos e recebendo o título de missionárias;
  • um desempenho acima do desempenho exigido dos homens que também ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo;
  • uma dedicação de tempo integral, sem remuneração, quando aos homens que ocupam e/ou ocuparam o mesmo cargo não se exige e/ou exigia essa dedicação e os mesmos eram remunerados para o exercício do cargo;
  • entregarem o cargo, muitas das vezes por telefone, sem nenhuma justificativa plausível quando aos homens, normalmente existe uma reunião formal para que se dê a entrega do cargo, além de, ao mesmo tempo, elevá-lo a um outro cargo, de preferência superior ao que está deixando;
  • exercerem o seu ministério em parceria com o marido, realizando as mesmas funções que ele e, o marido recebe o título de pastor, evangelista, presbítero e diácono e a mulher é proibida de recebê-los, além de o marido ser remunerado e a mulher não, etc.

Na Bíblia Sagrada, em Zc. 9. 8, 12, Deus faz uma promessa de proteção para Judá, enquanto seus vizinhos estiverem nas garras dos opressores e das opressoras (14): “Defenderei a minha casa contra os invasores e as invasoras. Nunca mais um opressor ou uma opressora passará por cima do meu povo, porque agora eu vejo isso com os meus próprios olhos. Voltem à sua fortaleza, ó prisioneiros, ó prisioneiras da esperança; pois hoje restaurarei tudo em dobro para vocês”.

Em 2010, as promessas de Deus para as mulheres que foram e/ou estão sendo oprimidas por homens e mulheres, nas igrejas em geral, são:

  1. Deus está vendo com os seus próprios olhos, cada uma das opressões de que as mulheres de Deus têm sido vítimas na Casa de Deus;
  2. Deus defenderá cada mulher de Deus contra todas as opressões de que têm sido vítimas na Casa de Deus;
  3. Deus nunca mais permitirá que os opressores e as opressoras, que têm agido na Casa de Deus, passem por cima das mulheres de Deus;
  4. Deus restaurará em dobro tudo que foi perdido por cada mulher de Deus, pela opressão sofrida na Casa de Deus.

Mas, para que você mulher, viva essas promessas em sua vida, a partir do ano de 2010, precisa tomar alguns posicionamentos:

    • colocar realmente Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo em primeiro lugar na sua vida;
    • admitir que você está sendo oprimida;
    • identificar que tipo de opressão você está sofrendo;
    • ter a coragem de jejuar, orar e pesquisar a Palavra de Deus para descobrir tudo que Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo dizem contra a opressão;
    • ir a Casa de Deus com o compromisso de não olhar para os opressores e as opressoras e sim para Deus, para Jesus Cristo e para o Espírito Santo;
    • voltar a Casa de Deus, como prisioneira da esperança de que, o que diz a Palavra de Deus contra a opressão prevalecerá, EM NOME DE JESUS!



15 de dez de 2009

O ANIVERSÁRIO DO MAIOR AMIGO DAS MULHERES

No dia 25 de dezembro estaremos comemorando o aniversário do homem que é o maior amigo das mulheres.

É o dia em que comemoraremos o Natal que é a celebração do dia do nascimento de Jesus Cristo.

Jesus Cristo NASCEU após ter sido encarnado dentro do ventre de Maria, por meio do Espírito Santo (Mt. 1. 18-23).

Jesus Cristo CRESCEU em sabedoria, em estatura e em graça para com Deus e os homens (Lc. 2. 52).

Jesus Cristo SE DESENVOLVEU no templo, assentado no meio dos doutores que os ouvia e os interrogava (Lc. 2. 46).

Jesus Cristo MORREU em nosso lugar para nos dar o direito a graça, ao perdão e a misericórdia (Lc. 23. 26-49).

Jesus Cristo RESSUSCITOU e está assentado à direita de Deus como nosso intercessor (Rm. 8. 34).

Jesus Cristo VOLTARÁ para buscar aqueles que decidiram colocá-lo em primeiro lugar em suas vidas (I Ts. 4. 13-18).

A mulher cristã deve comemorar o Natal fazendo pelo menos três reflexões:

  1. Jesus Cristo realmente ocupa o primeiro lugar na minha vida?
  2. Como tem sido o meu relacionamento com Jesus Cristo?
  3. O meu relacionamento com meus colegas e minhas colegas, com meus amigos e minhas amigas e com meus familiares, são alicerçados nos ensinamentos de Jesus Cristo?

Cabe as mulheres cristãs relembrarem que o Natal nasceu da fé, aponta para a fé e se concretiza com fé.

Ao celebrarmos o nascimento do Filho de Deus, nessa festa, o nascimento da vida de cada um de nós adquire novo sentido.

A mulher cristã deve reunir a família para comemorar o Natal, mas antes de planejar a festa...

  1. Pergunte a Jesus Cristo em que lugar vai ser a festa.
  2. Pergunte a Jesus Cristo qual vai ser o cardápio da festa.
  3. Pergunte a Jesus Cristo que presente Ele quer ganhar.

A família precisará estar preparada para receber as respostas de Jesus Cristo que poderão ser...

1. O lugar da festa será a casa de uma família pobre, uma creche, um orfanato, um asilo, uma rodoviária, uma invasão, uma favela, etc.

2. O cardápio da festa será:

2.1. Entrada: Ação de Graças, Louvor e Adoração a Jesus Cristo;

2.2. Prato principal: A Palavra de Deus;

2.3. Sobremesa: Oração de Confissão, de Renúncia e de Entrega a Jesus Cristo.

3. O presente que quero ganhar é ver todas as pessoas desse lugar participando de uma Ceia de Natal, ganhando pelo menos uma Cesta de Natal e sendo encaminhadas para uma Agência de Empregos para que possam ter o seu próprio salário e satisfazer as suas necessidades básicas.

Agindo assim, a sua família alegrará o coração do aniversariante mais importante da face da Terra: JESUS CRISTO, e terá um FELIZ NATAL!

17 de out de 2009

A MULHER CRIANÇA, A MULHER PROFESSORA E A MULHER MÉDICA

Deus ama a Mulher Criança. Deus ama a Mulher Professora. Deus ama a Mulher Médica.


Não é por acaso que o Dia da Criança, o Dia da Professora e o Dia da Médica são comemorados no mês de outubro e, uma data da outra, é separada por uma diferença de três dias.


Essas três mulheres têm algo em comum.


A Mulher Criança na maioria das famílias brasileiras teve de lutar para ter o direito de brincar visto que as suas mamães foram educadas por suas vovós para administrarem o lar sozinhas e quando muito, com a ajuda de suas filhas, enquanto que aos seus maridos era garantido o direito de trabalhar fora e trazer a provisão para o lar e, aos seus filhos, era garantido de forma natural o direito de jogar bola, de soltar pipa, de andar de bicicleta, etc.


A Mulher Professora na maioria das famílias brasileiras teve de lutar para ter o direito de estudar em função de que as suas mamães foram educadas por suas vovós ouvindo que as mulheres não deveriam aprender a ler e escrever para não escreverem bilhetes para namorados e também educaram suas filhas da mesma forma. Muitas acabaram fazendo o Curso de Formação de Professoras por que era o único curso e a única profissão que seus papais e suas mamães permitiam que fosse feito e desempenhado por suas filhas.


A Mulher Médica na maioria das famílias brasileiras além de lutar para ter o direito de estudar teve de lutar também para que fosse garantido a ela o direito de escolher a sua profissão. Os papais e as mamães tentavam convencê-la de que, já que pretendia trabalhar fora, deveria fazer o Curso de Formação de Professoras por que ser médica era uma profissão de homem.


Neste Dia da Criança, Dia da Professora e Dia da Médica percebemos que a Mulher Criança, a Mulher Professora e a Mulher Médica, apesar das lutas que precisaram empreender para se realizarem na infância, na adolescência e na juventude; não se conformaram com essa situação e acabaram contribuindo para que, no século XXI, o maior acesso das mulheres à instrução, seja uma das mudanças mais importantes que hoje estão melhorando a situação delas no Mundo Natural e no Mundo Espiritual, mostrando A IMPORTÂNCIA DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS SOBRE O PRECONCEITO EM RELAÇÃO À MULHER.


A Mulher Criança, a Mulher Professora e a Mulher Médica passaram da proibição em estudar para:
. ocupar a maioria das carteiras como alunas na Educação Infantil, no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e no Ensino Superior;
.
ter a maior quantidade de anos de estudo, mesmo quando é obrigada a abandonar a sala de aula por causa da gravidez indesejada, da viuvez de marido vivo, da viuvez de marido morto, da violência doméstica, etc.;
. ocupar a maioria das carteiras como alunas, nos Institutos Bíblicos, nos Seminários Teológicos, nas Faculdades Teológicas, nas Universidades Teológicas, etc.;
. as Mulheres Professoras são maioria nas salas de aula na Educação Infantil, no Ensino Fundamental, no Ensino Médio e no Ensino Superior de todos os cursos.


Mulher Criança! Mulher Professora! Mulher Médica! Parabéns pelo seu dia!

6 de out de 2009

GUNNAR VINGREN ENXERGOU FRIDA VINGREN COMO UMA MULHER CAPAZ DE PREGAR, ENSINAR, DOUTRINAR, ...

No Protestantismo Pentecostal vários homens de Deus valorizaram mulheres de Deus numa época em que a maioria dos homens defendiam e/ou defendem que, na igreja:
.as mulheres só podiam e/ou podem testificar;
.as mulheres não podiam e/ou não podem pregar, ensinar e doutrinar;
.não era e/ou não é justo que a mulher tenha a função de ensinadora e/ou pastora de uma igreja, a não ser que não existam homens capacitados para ensinar e/ou pastorear (1).

A história de um desses homens está registrada em Diário do Pioneiro que relata a luta de Gunnar Vingren pelo reconhecimento do ministério da mulher.

Gunnar Vingren fundou as Assembléias de Deus no Brasil em 18 de junho de 1911, em Belém, no Pará; juntamente com Daniel Berg. Em 16 de outubro de 1917, em cerimônia oficiada por Samuel Nyström, Gunnar Vingren e Frida Vingren; que foi a primeira missionária sueca enviada para o Brasil, casaram-se em Belém. Tiveram seis filhos: Ivar, Ruben, Margit, Astrid, Bertil e Gunvor.
Gunnar Vingren fundou os jornais Boa Semente, em 1919, no Pará, O Som Alegre, em 1929, no Rio de Janeiro e o Mensageiro da Paz, em 1930, na 1ª Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, em Natal; como resultado da fusão dos dois primeiros jornais.

Além do pastorado de 14 anos na Assembléia de Deus de Belém, Vingren pastoreou a Assembléia de Deus de São Cristóvão, de 1924 a 1932, no Rio de Janeiro.

Gunnar Vingren era fervoroso defensor do ministério da mulher na igreja e para que existisse a valorização da mulher, foi capaz de:
· enfrentar o celebrante de seu casamento, Samuel Nyström, Daniel Berg e Simon Lundgren; que eram contrários a ordenação de mulheres;
· em 1925, ordenar a 1ª mulher, Emília Costa, como diaconisa na Assembléia de Deus de São Cristóvão;
· liderar um movimento entre os pastores nos eixos: Belém, São Paulo e Rio de Janeiro, em favor do ministério da mulher;
· defender na 1ª Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, em 1930, a ordenação de mulheres.

Em função de sua coragem em enfrentar os seus opositores: sem medo de defender os seus argumentos, sem medo de perder a Presidência da Igreja, sem medo de não ser eleito para a Presidência da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, sem medo de desagradar famílias importantes da igreja, etc.; Vingren não ficou apenas no discurso: a sua relação com a sua mulher, Frida Vingren, na direção dos jornais, das igrejas, dos evangelismos, etc.; era de parceria na realização da obra de Deus.

Frida Vingren teve total liberdade para exercer o ministério que Deus a tinha dado, desempenhando as seguintes funções:
1. dirigiu o jornal O Som Alegre;
2. foi a única mulher a escrever comentários da revista de Escola Dominical: Lições Bíblicas;
3. foi autora de hinos da Harpa Cristã;
4. escreveu artigos e poesias no jornal Mensageiro da Paz;
5. dirigiu cultos na Assembléia de Deus de São Cristóvão;
6. dirigiu cultos ao ar livre nas praças do Rio de Janeiro;
7. participou da 1ª Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, em 1930 (1).

Gunnar Vingren poderia...
.
ter cedido ao preconceito contra o ministério de Frida Vingren;
.ter mantido o ministério de Frida Vingren abafado, como o de UMA MULHER DE DEUS QUE NÃO ACEITOU TER O SEU MINISTÉRIO ABAFADO POR HOMENS DE DEUS, sob a justificativa de que não teria como mudar a cabeça de seus opositores;
.ter desistido de lutar pelo ministério feminino para não ficar mal com os seus opositores;
.ter se omitido de defender o ministério feminino na 1ª Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, em 1930, para que não viesse a público as divergências entre os principais líderes das Assembléias de Deus;
.ter se conformado com a proibição determinada pela Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, e não ordenar a diaconisa Emília Costa.

No entanto, Gunnar Vingren, o marido de Frida Vingren, demonstrou ser um homem de Deus ao enxergá-la como:
.pregadora, por pregar nos cultos da Assembléia de Deus de São Cristóvão e nos cultos ao ar livre, das praças do Rio de Janeiro;
.ensinadora, por ensinar a Palavra de Deus através de poesias, hinos e artigos;
.doutrinadora, por ser a única mulher a escrever comentários da revista de Escola Dominical: Lições Bíblicas.

5 de out de 2009

ÁQUILA ENXERGOU PRISCILA COMO PASTORA, EVANGELISTA, PRESBÍTERA E DIACONISA

No Novo Testamento vários homens de Deus valorizaram mulheres de Deus, mostrando QUAL ERA A DIFERENÇA ENTRE SER MULHER NA SOCIEDADE JUDAICA E SER MULHER NA SOCIEDADE CRISTÃ, numa época em que os rabinos pregavam que:

.a mulher não tinha alma;

.a mulher não tomava parte ativa no culto de adoração a Deus, falando ou orando em voz alta;

.à mulher, não era permitido estudar a Lei de Moisés (10).

A história de um desses homens está registrada na Bíblia Sagrada em At. 18. 1-4, 18-21 e 24-28 que fala do relacionamento entre Áquila e Priscila.

Áquila e Priscila era um casal de judeus cuja profissão era a de fabricante de tendas. Eles foram forçados a abandonar a cidade de Roma por meio de um decreto do Imperador Cláudio que ordenava a expulsão dos judeus.

Quando Paulo chegou em Corinto trabalhou com Áquila e Priscila no negócio deles de fabricação de tendas. Enquanto trabalhavam juntos na oficina e na divulgação do evangelho, Áquila e Priscila tiveram a inestimável oportunidade de serem ensinados e treinados pelo próprio Paulo.

Áquila e Priscila abriram seu lar para o trabalho de Paulo, e ali se desenvolveu a Igreja Cristã de Corinto. Acompanharam-no a Éfeso e ajudaram-no a estabelecer ali a Igreja Cristã em Éfeso, onde também se reunia na casa deles. Além disso, voltaram a Roma, de onde tinham sido expulsos, e a Igreja Cristã de Roma funcionava na casa deles.

É interessante notar que, numa época em que os homens, na maioria das vezes, não se referia a mulher pelo nome, o nome de Priscila aparece em primeiro lugar, em quatro das seis referências a esse casal no Novo Testamento (At. 18. 18, At. 18. 26, Rm. 16. 3,4 e II Tm. 4. 19); levando-nos a fazer seis INFERÊNCIAS:

1. Priscila era o elemento mais importante da família;

2. Priscila era a personalidade mais espiritual no que diz respeito ao ministério do evangelho;

3. Priscila pertencia a uma nobre família romana, o que lhe teria dado uma proeminência especial;

4. Priscila era alguma dama romana de categoria social superior a de Áquila;

5. Priscila era o elemento de maior proeminência na igreja local;

6. Priscila pode ter sido mais proeminente no negócio de fabricação de tendas (10).

Áquila poderia...

.ter inveja do desempenho de Priscila na oficina de fabricação de tendas;

.ter ciúme de Priscila em função dos elogios de Paulo a ela, inclusive chamando-a, às vezes, pelo apelido de Prisca;

.ter desprezado a posição herdada por Priscila por pertencer a uma família nobre;

.ter impedido Priscila de exercer o ministério do evangelho na igreja local;

.ter reivindicado a posição de elemento mais importante da família.

No entanto, Áquila, o marido de Priscila, demonstrou ser um homem de Deus ao enxergá-la como:

.pastora, por dirigir as Igrejas Cristãs de Corinto (At. 18. 11), Éfeso (At. 18. 18,19) e Roma (Rm. 16. 3,4);

.evangelista, por expor o caminho de Deus a Apolo que era eloqüente e poderoso nas Escrituras mas, conhecia apenas o batismo de João (At. 18. 24-26);

.presbítera, por atuar como superintendente das Igrejas Cristãs de Corinto, Éfeso e Roma (I Co. 16. 19);

.diaconisa, por ter arriscado a própria vida para salvar a de Paulo (At. 19. 23-41).

MAS, POR QUE ÁQUILA?

Durante muitos anos, ao ministrar para pré-adolescentes, adolescentes e jovens; em acampamentos, congressos, seminários, etc.; utilizei como símbolo o relacionamento entre Isaque e Rebeca.

Ao me aprofundar nas pesquisas científicas sobre casais, na Bíblia Sagrada, pude constatar que o casal que melhor representa o relacionamento entre um Homem de Deus e uma Mulher de Deus é ÁQUILA e PRISCILA.

Portanto...

Pré-adolescentes, adolescentes e jovens desejem, sonhem, planejem o seu namoro, o seu noivado e o seu casamento; pedindo a Deus UM ÁQUILA ou UMA PRISCILA.

VOCÊ SERÁ MUITO FELIZ!

4 de out de 2009

OS DESAFIOS DE SER MULHER SOLTEIRA NO SÉCULO XXI

No século XXI as pesquisas mostram que na população mundial, há uma pequena predominância na quantidade de mulheres, em relação à de homens, o que tem levado a maioria dessas mulheres a ficarem ansiosas com respeito ao namoro, ao noivado e ao casamento.

No século XX, as mulheres solteiras tinham como referencial as suas mamães que preparavam as suas filhas para:
.administrar o lar sozinha: lavando, passando, cozinhando, arrumando, etc.;
.ajudar o marido na busca de provisão fazendo e vendendo peças de tricô, crochê, bordado, costura, etc.;
.cuidar do marido, dos filhos, das filhas, etc.;
.casar com a idade entre 15 e 25 anos;
.na adoração a Deus: aspirar participar do Círculo de Oração, da União Feminina, da obra social, da cantina, da cozinha, de cantar, de tocar um instrumento, etc.

No século XXI, as mulheres solteiras ainda têm como referencial as suas mamães que preparam as suas filhas para:
.administrar o lar com a ajuda do marido, dos filhos, das filhas, de uma secretária, etc.;
.estudar: terminando o Ensino Fundamental, o Ensino Médio, o Ensino Superior, etc.;
.exercer uma profissão com no máximo 6h diárias de trabalho;
.casar com a idade entre 25 e 35 anos;
.na adoração a Deus: aspirar ser pastora, ser evangelista, ser missionária, ser presbítera, ser diaconisa, etc.

As mamães do século XX foram de fundamental importância para a construção de famílias estruturadas na nossa sociedade.

As mamães do século XXI estão sendo fundamentais para a construção de famílias em que AS MULHERES CRISTÃS QUEREM VIVER O EFEITO IGUALADOR DO EVANGELHO no qual “não há judeu, nem grego; não há servo, nem livre; não há homem, nem mulher; porque todos nós somos um em Cristo Jesus” (Gl. 3.28).

MULHER SOLTEIRA, você é uma filha do século XXI. Por enquanto, independente de sua idade, SE PREOCUPE EM:
.aprender a administrar um lar com a ajuda do marido, dos filhos, das filhas, de uma secretária, etc.;
.estudar: terminando o Ensino Fundamental, o Ensino Médio, o Ensino Superior, etc.;
.se preparar para exercer uma profissão com no máximo 6h diárias de trabalho;
.ter o seu próprio salário;
.se preparar para ser pastora, ser evangelista, ser missionária, ser presbítera, ser diaconisa, etc.

E quanto ao namoro, ao noivado e ao casamento... Em I Co. 7.34b diz: “(...) a solteira cuida das coisas do Senhor para ser santa, tanto no corpo como no espírito; (...)”.O namoro, o noivado e o casamento é algo para ser desejado, sonhado, planejado.

Mas, esse desejo, esse sonho e esse planejamento não pode ocupar o 1º lugar na sua vida.

A mulher solteira vive idealisticamente um relacionamento de aliança com Deus; e é chamada a desenvolver seus dons naturais e espirituais, para contribuir com o crescimento (10) do Mundo Natural e do Mundo Espiritual.

Portanto, MULHER SOLTEIRA!
1. DESEJE o seu namoro, o seu noivado e o seu casamento;
1.1. para que Deus libere o seu ÁQUILA, você precisa desejar se casar.
2. SONHE com o seu namoro, o seu noivado e o seu casamento;
2.1. imagine como é o seu ÁQUILA, a cerimônia, a música, o convite, o local, a ornamentação, o buffet, a fotografia, a filmagem, etc.
3. PLANEJE o seu namoro, o seu noivado e o seu casamento;
3.1. marque a data, faça o orçamento, comece a comprar o enxoval, etc.

Mas, não esqueça que para conquistar esse desejo, esse sonho e esse planejamento,... você precisará em 1º lugar; cuidar das coisas do Senhor; para ser santa na alma, no espírito e no corpo.

MAS POR QUE ÁQUILA?

26 de set de 2009

OS DISCÍPULOS E AS DISCÍPULAS DE JESUS CRISTO SÃO REVOLUCIONÁRIOS E REVOLUCIONÁRIAS

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda, “revolucionária” é a mulher que prega, lidera ou toma parte em revolução ou revoluções e “revolução” é a transformação radical da estrutura política, econômica e social de conceitos.

Na Bíblia Sagrada; em Jo. 04. 6-19, 25-30 e 39-42; fala de um homem que promoveu uma transformação radical na estrutura política, econômica e social dos conceitos sobre a mulher, em Samaria, e de uma mulher que, após receber o conhecimento de quem ela era, pregou, liderou e tomou parte desta transformação.

Os costumes daquela época eram:
.os fariseus evitavam qualquer contato com mulheres não parentas;
.na opinião dos rabinos todos os samaritanos eram ritualmente imundos;
.os fariseus pregavam que seria melhor queimar a Lei de Deus do que ensiná-la a uma mulher.

Jesus Cristo não fez o percurso entre a Galiléia e a Judéia do modo como os judeus costumavam fazer. Eles cruzavam o rio Jordão e iam para a margem oriental, para não passar por Samaria.
Jesus Cristo, que era judeu, ao ver a mulher samaritana se desassociou dos costumes da época:
.falou com uma mulher não parenta;
.teve contato com uma samaritana;
.ensinou a Lei de Deus a uma mulher.

A mulher samaritana deixou o seu cântaro no poço e foi até a cidade:
.pregar para os samaritanos sobre Jesus Cristo;
.liderar a ida dos samaritanos até Jesus Cristo;
.tomar parte da transformação que Jesus Cristo fez na cidade de Samaria.

O filólogo Aurélio Buarque de Holanda define "mestre" como quem serve de base ou de guia; fundamental.

JESUS CRISTO serviu de base, de guia para os seus discípulos e suas discípulas e foi fundamental para a transformação radical da estrutura política, econômica e social dos conceitos sobre a mulher, nas cidades de sua época e, continua promovendo transformações em continentes, países e cidades em que, com a chegada do Seu evangelho, há a criação, alteração e publicação de leis que protegem as mulheres de todo tipo de violência e/ou garante-lhes direitos.
Portanto, Ele É O NOSSO MESTRE que começou o Seu ministério chamando um pequeno grupo de doze homens e aceitando o oferecimento de Joana, Suzana, Maria Madalena e outras mulheres para se tornarem, discípulos e discípulas; nesse intervalo ensinou as pessoas como ser discípulos e discípulas e terminou o Seu ministério com a grande comissão para fazer discípulos e discípulas.

Como discípulos e discípulas de Jesus Cristo, é fundamental que sigamos o Seu exemplo. Por onde Ele passava havia revolução. Por onde quer que passemos temos de pregar, liderar e tomar parte das transformações promovidas pelo evangelho de Jesus Cristo.

25 de set de 2009

A IMPORTÃNCIA DAS PESQUISAS CIENTÍFICAS SOBRE O PRECONCEITO EM RELAÇÃO À MULHER

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda, pesquisar significa informar-se a respeito de e/ou fazer-se investigação e estudo, minuciosos e sistemáticos, com o fim de descobrir fatos relativos a um campo do conhecimento.

Os teólogos cristãos e as teólogas cristãs têm feito estudos e investigações, minuciosos e sistemáticos, com o fim de descobrir fatos relativos a origem e/ou perpetuação do preconceito sobre a mulher na sociedade em geral.

Os resultados desses estudos e dessas investigações têm revelado indícios de que "O preconceito sobre a mulher não vem de Deus. O preconceito sobre a mulher não vem de Jesus Cristo. O preconceito sobre a mulher não vem do Espírito Santo".

O preconceito sobre a mulher vem dos homens e das mulheres que, por falta de conhecimento, acabam aceitando tradições, religiosidades e legalismos impostos pela sociedade em geral.

As tradições, as religiosidades e os legalismos tiveram origem com os gregos, passaram pelos romanos e se concretizaram através do judaísmo; quando não era permitido que as mulheres estudassem a Lei de Moisés e, alguns mestres judeus falavam que mais valia a pena queimar a Lei de Deus do que ensiná-la a uma mulher.

Em função de tais idéias, não nos é difícil compreender por que razão as mulheres não tinham permissão de tomar parte na sinagoga estudando, falando ou orando em voz alta.

Infelizmente, essas idéias se perpetuaram pelo cristianismo e durante séculos não foi permitido às mulheres estudar, falar ou orar em voz alta nas instituições em geral.

No século XXI, o maior acesso das mulheres à instrução é uma das mudanças mais importantes que hoje estão melhorando a situação delas no mundo. No entanto, a mulher ainda está muito distante de viver o efeito igualador do evangelho na igreja, no trabalho, no lar, na comunidade, etc.

Para mudar esta situação as mulheres precisam se unir; formando grupos de estudos liderados por pesquisadoras, se graduando, se pós-graduando, etc.; para informar-se sobre o que a Bíblia Sagrada diz a respeito das tradições, das religiosidades e dos legalismos e fazer investigações e estudos de forma minuciosa e sistemática sobre como Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo trataram as mulheres na Bíblia Sagrada.

24 de set de 2009

A ÚNICA MULHER A SER CHAMADA DE DISCÍPULA

Segundo o filólogo Aurélio Buarque de Holanda, politizar significa inculcar a (certas classes ou categorias sociais) ou a (indivíduos dessas classes) a consciência dos seus deveres e direitos políticos.

A melhor maneira de termos a consciência dos nossos direitos e deveres políticos é participando dos movimentos sociais.

De acordo com a socióloga Maria da Glória Gohn, os movimentos sociais são ações coletivas de caráter sociopolítico, construídas por atores sociais pertencentes a diferentes classes e camadas sociais.

Na Bíblia Sagrada, em At. 09. 36-43, fala sobre Dorcas que foi a única mulher em todo o Novo Testamento a ser chamada de discípula por liderar um movimento social.

O movimento social liderado por Dorcas teve início com uma ação individual ao observar que em Jope, onde ela morava; que era uma cidade situada na costa do Mar Mediterrâneo; muitos maridos e pais partiam em direção a águas perigosas e não mais voltavam do mar, deixando para trás viúvas, órfãos e órfãs enlutados e desamparados.

Os atores sociais eram os habitantes de Jope. Dorcas era helenista ou judia que morava entre os gregos e falava a língua grega, tornando-se cristã.

A ação individual de Dorcas consistiu em se posicionar para transformar os valores dos gregos e da igreja em Jope, costurando roupas para distribuir às viúvas e aos filhos e filhas da cidade.

A ação individual se transformou em ação coletiva pois possivelmente essas viúvas e esses filhos e filhas passaram a trabalhar com Dorcas na igreja e a ajudarem a distribuir as roupas.

Dorcas conseguiu, através de um movimento social, fazer com que os gregos e a igreja em Jope se conscientizassem dos seus deveres e direitos políticos como cristãos e cristãs, mexendo inclusive com Pedro que permaneceu em Jope, vivendo na casa de um curtidor de peles de animais, que era uma profissão considerada "impura" pelos judeus, por causa da manipulação de animais mortos.

23 de set de 2009

A MULHER VIRTUOSA FOI UMA MULHER EMPREENDEDORA

A Bíblia Sagrada, em Pv. 31.10-27, fala sobre a mulher virtuosa que no original significa mulher de força.

Na maioria das ministrações que ouvi até hoje sobre a mulher virtuosa, o palestrante ou a palestrante a descreveu como uma mulher subserviente, passiva e resignada.

O filólogo Hildebrando de Lima define uma mulher empreendedora com os seguintes significados: que ou o que empreende, ativa, arrojada.

A mulher virtuosa foi ativa ao falar com sabedoria e ensinar com amor, ao cuidar dos negócios da sua casa, ao se levantar, antes de clarear o dia, ao não dá lugar à preguiça, ao não deixar a sua lâmpada se apagar de noite, ao acolher os necessitados, ao estender as mãos aos pobres, ao agasalhar todos os seus familiares quando chega a neve, ao sorrir diante do futuro.

A mulher virtuosa empreendeu ao escolher a lã e o linho e com prazer trabalhar com as mãos, ao preparar a comida para a sua casa, ao dar tarefas às suas servas, ao fornecer cintos aos comerciantes, ao se vestir de linho fino e de púrpura.

A mulher virtuosa foi arrojada ao trazer de longe as suas provisões, ao examinar uma propriedade, ao adquirir uma propriedade, ao plantar uma vinha com o lucro do seu trabalho, ao perceber que o seu comércio era lucrativo, ao fazer com que seu marido fosse respeitado entre as autoridades da sua terra.

A mulher virtuosa empreendeu ao segurar com as mãos o fuso, ao pegar com os dedos a roca, ao fazer roupas de linho fino, ao vender roupas de linho fino, ao fazer cobertas para a sua cama.
Portanto, a mulher virtuosa foi uma mulher empreendedora que se entregou com vontade ao seu trabalho como:
.mulher que não trabalha fora;
.mulher que trabalha fora;
.mulher que trabalha para a comunidade;
.mulher que trabalha para Deus.
A mulher virtuosa é a mulher do século XXI!

22 de set de 2009

QUAL A ORIGEM DAS FAMÍLIAS BRASILEIRAS CHEFIADAS POR MULHERES?

Segundo pesquisa feita em agosto de 2006 pelo IBGE, 30% das trabalhadoras brasileiras são as principais responsáveis pelo sustento financeiro da casa.
Tipicamente, essa é uma mulher de seus 40 anos que, na metade dos casos, mora sozinha com os filhos.
Essa mulher na maioria dos casos está como chefe de família porque:
.ficou viúva de marido vivo;
.ficou viúva de marido morto;
.teve uma gravidez indesejada;
.o marido saiu de casa;
.fugiu da violência doméstica;

.anulou o casamento;
.se separou;
.se divorciou.
Na Bíblia Sagrada, em Mt. 19.06b, está escrito "Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem" ou a mulher [grifo nosso].
Acontece que há casamentos que, mesmo tendo recebido a bênção de Deus, não foi Deus quem ajuntou o homem e a mulher.
Foram casamentos que aconteceram porque:
. um homem ou uma mulher era considerado "um bom partido";
. um grupo de amigos e amigas disputou quem seria o primeiro e/ou o último a se casar;
. um grupo de amigos e amigas apostou quem conquistaria um homem ou uma mulher;
. o homem ou a mulher fugiram da violência da família de origem;
. um "profeta"ou uma "profetisa" simulou uma ordem divina;
.um "pastor" ou uma "pastora" determinou com quem um homem ou uma mulher se casaria;
. um homem ou uma mulher foi coagido a se casar.
São as sociedades conjugais que terminam pela anulação do casamento, pela separação judicial e pelo divórcio; dando origem ao tipo de famílias brasileiras chefiadas por mulheres.

21 de set de 2009

A 1ª INSTÂNCIA DE LUTA PARA DIREITOS IGUAIS PARA AS MULHERES

Na Bíblia Sagrada, em Nm. 27.01-08, lemos que Zelofeade, da tribo de Manassés, tinha cinco filhas: Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza.

A iniciativa delas de se apresentarem diante de Moisés, Eleazar (o sumo sacerdote) e dos príncipes das 12 tribos; quando a terra ainda estava sendo dividida entre as tribos; é a 1ª instância de luta, na Bíblia Sagrada, sobre um apelo para direitos iguais para as mulheres.

Zelofeade tinha morrido sem deixar filhos e suas filhas pediram a Moisés e aos líderes do povo que permitissem que as filhas herdassem a porção do pai delas na terra; para que o nome dele não desaparecesse.

Deus atendeu ao pedido das filhas de Zelofeade e disse a Moisés que se um homem morresse sem filhos, os bens dele deveriam ser dados as filhas.

Elas se preocuparam em garantir uma propriedade e prosperidade para uma família em que mulheres viraram chefes de família.Para isso Maalá, Noa, Hogla, Milca e Tirza se posicionaram e lutaram:
.no mundo natural, quando tiveram a coragem de irem diante de Moisés, Eleazar e dos príncipes das 12 tribos para reivindicar a herança do pai;
.
no mundo espiritual, quando elas creram que Deus daria a terra, mesmo que ainda estivessem fora dela.

MULHER, é bíblica a luta pelos seus direitos de acordo com as leis do país e de acordo com as leis de Deus.

8 de set de 2009

MULHER É CONDENADA A PRISÃO POR USAR CALÇA COMPRIDA

Hoje eu amanheci com a seguinte notícia nos meios de comunicação:
MULHER É CONDENADA A PRISÃO POR USAR CALÇA COMPRIDA NO SUDÃO
Lubna Hussein, de 43 anos, foi liberada das 40 chicotadas previstas na lei islâmica em vigor no Sudão.

No Sudão, país do centro da África, um caso na Justiça chamou a atenção mundial. Uma mulher foi detida porque usava calça comprida. A polícia considerou a calça indecente. Ontem foi o dia do julgamento. Lubna Hussein, de 43 anos, chegou à corte de Cartum com a mesma roupa que vestia no dia da prisão dela, em julho. O tribunal condenou Lubna a um mês de prisão mas a liberou das 40 chicotadas previstas na lei islâmica em vigor no Sudão. Do lado de fora, um ato de solidariedade: 40 mulheres protestaram vestindo calças compridas.
Fonte: http://www.globo.com/
Provavelmente muitos homens cristãos e muitas mulheres cristãs, ao lerem essa notícia se indignaram, considerando um absurdo a lei islâmica, que prevê a prisão de um mês e 40 chicotadas, para as mulheres que usarem calça comprida.

Como cristãos e cristãs realmente a nossa reação não poderia ser diferente considerando que Jesus Cristo é o nosso Mestre, que somos discípulos e discípulas de Jesus Cristo e o que defendemos na construção das leis de um país, precisa estar de acordo com o que Jesus Cristo defendeu.

Jesus Cristo sempre aceitou as mulheres do jeito que elas eram. O ministério de Jesus Cristo foi marcado pela presença de mulheres de todas as raças, de todas as posições sociais e de todas as religiões e, em nenhum momento, em contato com essas mulheres, Jesus Cristo se preocupou com a forma com que elas se vestiam, se calçavam, se enfeitavam, se divertiam, se perfumavam, se arrumavam, se cortavam o cabelo, se maquiavam, etc.

A grande preocupação de Jesus Cristo era mostrar para essas mulheres o evangelho do Reino de Deus que era capaz de:
.salvá-las, convencendo-as do pecado, da justiça e do juízo;
.curá-las de todo tipo de enfermidades;
.libertá-las de toda opressão dos judeus e dos gregos;
.restaurá-las da lascívia, da fornicação, do adultério, da prostituição, etc.
Porém, Jesus Cristo não ficou apenas no discurso. Ele não se incomodou com o que os seus discípulos, os rabinos, os escribas, os fariseus, os saduceus, os essênios, etc.; falariam a respeito dEle.
Ao encontrar-se com:
.a mulher pecadora na casa de um fariseu, Ele a salvou, convencendo-a do pecado, da justiça e do juízo (Lc. 7. 36-50);
.a mulher que sofria de uma hemorragia, há 12 anos, Ele a curou daquela enfermidade (Mt. 9. 19-22);
.as mulheres que viajaram com Ele, as libertou da opressão dos judeus e dos gregos (Lc. 8. 1-3);
.a mulher samaritana no poço de Jacó, uma mulher que já tinha tido 5 maridos e o que estava com ela não era dela, Ele a restaurou da lascívia, da fornicação, do adultério e da prostituição (Jo 4. 1-42).

O protestantismo histórico e pentecostal no Brasil, durante muito tempo, não seguiram o exemplo de Jesus Cristo, em relação às mulheres. O crescimento do protestantismo histórico e pentecostal, também foi marcado pela presença de mulheres de todas as raças, de todas as posições sociais e de todas as religiões.

No entanto, os missionários estrangeiros e as missionárias estrangeiras que trouxeram o evangelho do Reino de Deus para o Brasil, vieram de países desenvolvidos que tinham como prática, impor a sua forma de viver aos países subdesenvolvidos e, por serem oriundos de países de clima temperado e/ou frio, esses missionários e essas missionárias impuseram as mulheres cristãs brasileiras, que viviam em um país de clima tropical, os seus usos e costumes, criando nos templos brasileiros uma “doutrina de homens e de mulheres” que, há 100 anos aproximadamente, oprime, principalmente as mulheres cristãs, impedindo-as de viver o efeito igualador do evangelho praticado por Jesus Cristo.

As mulheres do protestantismo histórico não foram tão oprimidas quanto às mulheres do protestantismo pentecostal. A grande preocupação do protestantismo pentecostal, durante o século XX, ao contrário das atitudes de Jesus Cristo, foi a forma com que as mulheres cristãs: se vestiam, se calçavam, se enfeitavam, se divertiam, se perfumavam, se arrumavam, se cortavam o cabelo, se maquiavam, etc.
A opressão as mulheres cristãs se manifestava através da:
.obrigação de só usar vestidos e/ou saias longas que não mostrassem os tornozelos;
.obrigação de só usar vestidos e/ou blusas de mangas compridas que não mostrassem o “ossinho” do pulso;
.obrigação de usar anágua por baixo das saias e/ou combinação por baixo dos vestidos;
.obrigação de só usar sapatos fechados;
.obrigação de só usar meias grossas;
.proibição da prática de esportes;
.proibição da prática do lazer;
.proibição de depilar as axilas e as pernas;
.proibição do uso de sabonetes, desodorantes, perfumes;
.proibição de pintar as unhas das mãos e dos pés;
.proibição de usar maquiagem;
.proibição do uso de roupas da moda;
.proibição de cortar o cabelo,
.proibição do uso de jóias, etc.

Ainda hoje, no século XXI, a grande maioria das mulheres cristãs, do protestantismo pentecostal, continuam sendo oprimidas por essas “doutrinas de homens e de mulheres”, contrariando o exemplo de Jesus Cristo. Algumas denominações já promoveram alguma abertura em relação aos usos e costumes das mulheres cristãs, porém ainda acontecem aberrações como:
.a proibição de que a mulher cristã cante, ore, toque, leia a Palavra de Deus, etc., no púlpito da igreja, de calça comprida, quando pode assistir ao culto na nave do templo, usando esse mesmo traje;
.a proibição de que a mulher cristã cante nos corais e toquem na orquestra da igreja de calça comprida, sendo que podem prestar esse mesmo serviço para Deus na nave do templo, com o mesmo traje;
.a proibição de que as mulheres cristãs se depilem com cera “por ser pecado”, mas podendo se depilar com gilete “por não ser pecado”;
.a proibição de os diáconos servirem a Ceia do Senhor a mulheres cristãs de calça comprida, quando às mesmas é permitido assistir ao culto com esse traje;
.a proibição de que uma pastora ministre a Palavra de Deus por estar com um terninho de calça comprida;
.a proibição de que uma mulher ocupe um determinado cargo na igreja por usar calça comprida, por usar vestidos e blusas sem manga, por ter cortado o cabelo, por usar jóias, por pintar as unhas das mãos e dos pés, por usar batom, etc., quando é permitido a essa mesma mulher assistir aos cultos, na nave do templo, usando esse mesmo traje e apetrechos, etc.

De uma certa forma, como a Lubna Hussein, essas mulheres cristãs também foram condenadas peladoutrina de homens e de mulheres” a um século de prisão e, ao contrário de Lubna que foi liberada das 40 chicotadas, essas mulheres cristãs recebem diariamente as chicotadas das tradições, dos legalismos e das religiosidades presentes nos templos do protestantismo histórico, pentecostal e neo-pentecostal.

Os homens cristãos e as mulheres cristãs que se indignaram ao lerem essa notícia, precisam também se indignarem contra a opressão a que estão submetidas essas mulheres cristãs e, praticarem um ato de solidariedade, protestando contra o fato de que, se continuarmos agindo assim não estaremos reconhecendo Jesus Cristo como o nosso Mestre e não poderemos continuar sendo chamados de discípulos e discípulas de Jesus Cristo, já que não estamos tratando as mulheres cristãs como Ele as tratou.